James Rocha, CIO da Herval.

O Grupo Herval começou em março a segunda onda do projeto de implementação do sistema de gestão da SAP na companhia, contemplando agora todos os processos produtivos das indústrias do grupo.

Um dos maiores projetos com tecnologia da multinacional alemã em curso no país atualmente, a iniciativa, batizada de Conexão Herval, começou em janeiro de 2014. A empresa está sendo apoiado pelas parceiras SAP gaúchas Grupo Meta e ITS Group.

Também participam do projeto a First Decision, consultoria responsável pelo saneamento e migração de dados e a GMC que atua na frente de gestão de mudanças, comunicação e impactos organizacionais.

O go live da primeira fase foi feito unificou seus processos da estrutura administrativa e de recursos humanos para  todo o grupo, que conta com mais de 7 mil colaboradores, 12 indústrias e mais de 200 lojas espalhadas por todo o Brasil. 

A meta final é integrar as 12 empresas e mais de 20 linhas de negócio da companhia sediada em Dois Irmãos, distante 52 quilômetros de Porto Alegre e dono de um faturamento anual na casa dos R$ 2 bilhões.

A próxima onda prevista é a implantação nas lojas de varejo, que seguem em expansão. Em 2014 foram abertas 70 lojas das marcas TaQi, iPlace e HP-Store em todo país, além de uma central de cadastro que permitiu a unificação de dados para todos os negócios do grupo. 

“Nosso primeiro go live do projeto SAP se deu de uma forma muito natural e foi um processo tranquilo com uma estabilização rápida, sem prejuízos para o andamento dos negócios”, destaca o CIO do Grupo Herval, James Rocha.  

Segundo Rocha, seis meses antes do início do projeto, a equipe já estava mobilizada trabalhando em processos de grande relevância tais como a preparação de usuários-chave, gestão de mudanças e saneamento de dados. 

“Trata-se de um projeto de negócio suportado pela TI, trazendo uma profunda transformação organizacional, uma vez que aborda a revisão de processos internos, sistemas, dados e cultura empresarial, preparando a organização para o crescimento sustentável nos próximos anos”, destaca Rocha.