Em baixa. Foto: flickr.com/photos/nanpalmero

Os dias de glória do Foursquare parecem ter ficado definitivamente para trás. 

É o que mostrou involuntariamente a E.life, empresa de software analítico para redes sociais que fez uma pesquisa sobre tweets nos três jogos do Brasil na fase de grupos da Copa baseada numa amostra de usuários que fizeram check in na rede de localização antes das partidas.

Eles foram ao todo... 378 gatos pingados, uma gota no oceano de 194 mil que viram as partidas em São Paulo, Fortaleza e Brasília.

A quantidade representa um check in no Foursquare a cada 513 torcedores. Uma pesquisa recente mostrou que a penetração de smartphones na classe A, da qual é oriunda a maioria dos torcedores nos estádios, é de 26%. Considerando essa cifra, temos um check in a cada 128 torcedores.

Aparentemente, o próprio Foursquare sabe que está em apuros. Ainda em abril, a empresa anunciou uma reformulação radical, apostando em abandonar o check-in [essa parte os usuários já fizeram, ao que parece] e se concentrar apenas na exploração e descoberta, posicionando-se como um concorrente ao Yelp, plataforma de localização de estabelecimentos.

Fontes do The Verve familiarizadas com a situação dizem que o Foursquare cresceu sua receita de cerca de US$ 2 milhões em 2012 para US$ 12 milhões em 2013, e está a caminho de fazer entre US$40 e US$50 milhões este ano.

O grupo E.life conta hoje com cerca de 200 pessoas divididas entre São Paulo, Recife, além de mais de 20 colaboradores que atuam na América Latina e Europa.

Colaboraram com esta matéria:
Bárbara Poli / TargetTrust