SEMINÁRIO SUCESU-RS

Gartner: rumo à 4ª geração do GRC

01/10/2012 09:05

TI deve entrar no campo da análise de performance e aconselhamento da gestão.

Moacyr Gomes no Seminário Sucesu-RS. Foto: Baguete.

Tamanho da fonte: -A+A

As práticas de governança, risco e compliance devem chegar em 2016 à sua quarta geração.

Nela, a preocupação dos gestores de TI deixará de ser apenas o cumprimento de requisitos legais, ou a gestão de indicadores chave, para entrar no campo da análise de performance e aconselhamento da gestão.

É o cenário apontado por Moacyr Gomes, diretor para a América Latina do Gartner, que esteve apresentando as últimas pesquisas da consultoria sobre o tema para um público de mais de 100 CIOs gaúchos durante o Seminário Governança, Risco e Compliance, realizado pela Sucesu-RS em Gramado nesta sexta-feira, 28.

Para Gomes, o cenário de buscar apenas o compliance com leis como Sox, auditorias durou de 2004 a 2008.

Nos quatro anos seguintes, entrou em cena a preocupação com análise de indicadores de performance e risco.

Agora a fase é outra, assegura o executivo. “O tema de alinhamento com o negócio é furado”, resumiu Gomes. “O momento é de buscar influenciar nos negócios, em vez de ficar perguntando o que fazer”, afirmou.

Nos últimos 18 meses, o Gartner vem trabalhando com uma nova arquitetura de soluções de TI alinhada com a nova perspectiva em governança dividindo sistemas em inovação, diferenciação e registro.

Na comparação usada por Gomes, é como se os sistemas de registro se limitassem a constatar a existência de uma crise, os de diferenciação monitorassem na mídia social para detectar a o problema no berço e os de inovação permitissem analisar tendências que indiquem um problema futuro.

A nova abordagem de portfólio de TI preconizada pelo Gartner tem implicações na maneira como os serviços são comprados, principalmente na capada de registro, onde estão aplicações como os sistemas de gestão.

“O ERP não fazer tudo de maneira monolítica”, avaliou Gomes, no que parece uma abordagem contrária à concentração que se preconizava nos últimos anos. “A arquitetura de integração tem que ser forte o suficiente para sustentar aplicações de nicho que gerem ganhos de negócio”, completou.

Para as aplicações na camada de registro, o futuro marca uma abordagem simplificada.

“Um CIO com um dos maiores orçamentos do país me disse recentemente que o que não puder ser comprado na nuvem, nem de gaveta, nãos será comprado”, revelou Gomes.

* Maurício F. Renner acompanhou o Seminário Governança, Risco e Compliance da Sucesu-RS em Gramado à convite da entidade.

Veja também

YES, NÓS TEMOS
Dreyfuss: 1° brasileiro na alta roda do Gartner

Executivo foi nomeado research country manager no país da consultoria.

SEGUE COMPRANDO
Veratis incorpora Opensis de olho em SAP-GRC

Operação cria divisão de negócios SAP-GRC com projeção de receitas de R$ 10 milhões em 2013.

Stemac: conformidade com SAP GRC 10.0

A gaúcha Stemac reduziu erros em seus processos relativos a recebimento eletrônico e aumentou a conformidade fiscal na cadeia de suprimento de todos seus 38 centros no Brasil com o SAP GRC 10.0.

Em todo 2011, o número de NF-es recebidas pela fabricante de geradores ficou em 96.604.

Já em CFOPs (sigla para Código Fiscal de Operações e Prestações), o volume em 2011 foi de 137.

Módulo representa BR no GRC Summit

A carioca Módulo, empresa multinacional com escritórios na Europa, Estados Unidos e Ásia, será a única brasileira presente no GRC Summit 2012, que se realiza entre os dias 15 e 16 de março em Mumbai, Índia.

O evento reunirá especialistas em Segurança da Informação, Governança, Riscos e Compliance (GRC), área de atuação da empresa brasileira Módulo.

SAP Brasil lança versão 10.0 do GRC

A SAP anuncia o lançamento no Brasil da versão 10.0 do SAP BusinessObjects GRC, seu software para governança, risco e conformidade.

O lançamento oficial ocorre na quarta-feira, 08, no Hotel Caesar, em São Paulo, em um evento que vai apresentar a ferramenta para clientes das áreas de finanças, riscos, controles internos e auditoria.

Agiplan: governança muito além da TI

A Agiplan Serviços Financeiros, de Porto Alegre, utilizou metodologias tradicionalmente aplicadas à governança de TI para agilizar, uniformizar e gerir suas áreas e processos de custos de serviços corporativos.

“Pode parecer curioso, mas a mesma metodologia que permite criar um catálogo de serviços de TI também nos permitiu criar um CSC – Centro de Serviços Compartilhados”, explica o diretor executivo da Agiplan, Rafael Fossati.

Rio Info debate governança e integração

O encontro nacional de tecnologia Rio Info 2011 ocorre entre 27 e 29 de setembro, das 9h às 18h, no Hotel Wimdsor (Av. Sernambetiba, 2630), no Rio de Janeiro.

Na ocasião, o tema em debate é governança pública e empresarial, a partir dos projetos de integração, que serão discutidos por meio de palestra, workshop e rodadas de negócio.

Kalendae: governança como serviço

A Kalendae aposta na oferta de consultoria em governança em modalidade de serviço para incrementar os negócios em 2011.

O GaaS, integrante da longa lista de produtos em tecnologia “as a service”, deve responder por um terço da receita até o final deste ano e metade em 2012.

FALOU BEM!
Soluzzione: comunicar bem é preciso

Empresa aposta em consultoria para defiir públicos e comunicar projetos e produtos com assertividade.

EVENTO SUCESU-RS
Navita: ROI dobrado na gestão mobile

Companhia lança o TEM, solução que permite gerenciar não o dispositivo, mas o indivíduo. Mobilidade controlada: agora sim!

SEMINÁRIO SUCESU-RS
Doux Frangosul: agora vai!

Com o acordo de locação de ativos firmado com o JBS em maio passado, a empresa virou a página de um histórico de crise que vinha desde 2008, quando a matriz francesa amargou retração devido à crise mundial, e ganha fôlego para investir, inclusive na TI.