EQUIPAMENTOS DE REDE

OIW: fabricação nacional pelo PPB

01/10/2015 18:02

Empresa investiu R$ 2,5 milhões para aumentar o nível de fabricação local em seus equipamentos e se enquadrar no PPB.

Roberto Ferreira. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A OIW Telecom Solutions, empresa gaúcha especializada em equipamentos de rede e conexão, investiu na expansão de sua produção local para atender aos requisitos da Lei de Informática pelo Processo Produtivo Básico (PPB).

Com sede em Taquari, a 96 quilômetros de Porto Alegre, a companhia conta com duas unidades produtivas - uma em Ilhéus, na Bahia, e outra em Montes Claros, em Minas Gerais.

A unidade baiana da empresa foi a que recebeu um aporte de aproximadamente R$ 2,5 milhões para aumentar o nível de fabricação local em seus equipamentos e se enquadrar no PPB.

A companhia não revela números de faturamento, mas a expectativa de crescimento para 2015 é aumentar sua receita em 25%, número em linha com a realidade econômica e com o percentual de 33% registrado em 2014.

Segundo destaca Roberto Ferreira, sócio-diretor da OIW, o roteador wireless de OIW-2441APGN, de 150Mbps, equipamento mais vendido da marca própria OIWTech, será a primeira produção com PPB, sendo comercializado ainda em setembro.

Nos próximos meses iniciam a produção da nova antena CPE 5GHz MG-5GCPE, da MaxxGain (outra marca própria da fabricante) e do switch VLAN de 8 Portas OIW-SW8FEV+P, da da OIWTech.

"Com a nova produção, os produtos de nossas marcas terão suas placas manufaturadas localmente. Antes, elas eram produzidas na China por um fabricante terceirizado e importadas pela fabricante", explica Ferreira.

Dentro da nova categoria fiscal, com a redução de alíquotas como ICMS e IPI, entre outros impostos interestaduais, a empresa espera reduzir em cerca de 20% o preço repassado aos seus revendedores e ao consumidor final.

"Embora já tinhamos esse planejamento há mais de um ano, acabou se tornando algo decisivo para nós, que nos manterá competitivos no atual momento econômico", avalia Ferreira.

De acordo com o gestor, outra vantagem da nova forma de produção envolve as possibilidades de financiamento pelo Cartão BNDES e Finame, formas de pagamento já utilizadas por vários provedores brasileiros.

Atualmente a empresa trabalha com cerca de duzentas revendas em todo o país, assim como mais de 150 integradoras especializadas nas soluções da companhia. Além das marcas próprias OIWTech e MaxxGain, a OIW importa as internacionais Ubiquiti, Mikrotik e FiberHome.

O principal mercado da OIW reside nos médios e pequenos provedores de conectividade (ISPs), principalmente no interior dos estados, que usam os equipamentos da fabricante para entregar seus serviços na casa dos assinantes. Segundo Ferreira, o país conta com cerca de 10 mil ISPs em atividade.

"É um segmento com grande potencial, mas no qual rivalizamos com marcas grandes como Intelbrás e TPLink, entre outras, portanto esta redução de impostos se mostrou essencial para competir no mercado", explica Ferreira.

Veja também

RUMO À ÁSIA
AMD leva fabricação de chips para China

Fabricante norte-americana quer aproveitar crescimento do mercado de PCs no oriente.

APOSTA
Nutanix terá fabricação no Brasil

É mais um passo no mercado nacional da companhia, que abriu por aqui em janeiro.

LOCAL
Cisco: fabricação de blades UCS no Brasil

Fabricação local faz parte do plano de investimentos no Brasil de cerca de R$ 1 bilhão, anunciado em 2012.

HERO3+
GoPro inicia fabricação no Brasil

O modelo Hero3+ Black Edition terá preço sugerido de R$1.699.

SMARTPHONES
ZTE terá fabricação local

 A empresa chinesa firmou uma parceria com a Evadin, de Manaus.

EFEITOS DA CRISE
Pure Storage adia fabricação no Brasil

Decisão da fabricante norte-americana foi tomada devida ao atual cenário econômico do país.