31 % dos jovens entre 16 a 29 anos têm smartphone. Foto: flickr.com/photos/hadsie.

Pesquisa revela que um a cada cindo moradores de favela tem um smartphone com acesso à internet. O estudo “O mapa do consumo das favelas brasileiras”, feito pelo Data Favela indicou também que entre os jovens de 16 a 29 anos, 31% têm esse tipo de dispositivo. 

O instituto, que realizou a pesquisa com 2 mil pessoas em 63 favelas de 10 estados, foi criado pelo Data Popular e por Celso Athayde, fundador da Central Única das Favelas (Cufa).

Renato Meirelles, presidente do Data Popular, destacou ao jornal Valor Econômico que o smartphone é um produto de massas e os tablets têm seguido o mesmo caminho. Cerca de 10% dos 11,7 milhões de moradores nesse ambiente têm a intenção de comprar um tablet nos próximos 12 meses. 

De acordo com o instituto, a estimativa é de que existam mais de 2 mil favelas no país e o mercado movimenta cerca de R$ 63 bilhões ao ano.

Quase metade do moradores acessam à internet pelo celular, convencional ou smartphone, ou pelo tablet.

Cerca de 85% possui um celular e um a cada quatro usam dois ou mais chips para ligações. Dessa forma,  nove a cada dez têm plano pré-pago. Entre as operadoras, a Oi é a mais utilizada, seguida por TIM, Claro e Vivo.

Um levantamento da IDC destacou que no primeiro semestre de 2013, as vendas de smartphones registraram 13,7 milhões de unidades comercializadas, um salto de 99,6% em relação ao mesmo período em 2012. 

Hoje em dia, telefones inteligentes com preço abaixo de R$ 700 já representam mais de 70% das vendas no Brasil, conforme a consultoria Gfk.