Cleber Morais, country manager da Amazon Web Services no Brasil. Foto: Baguete.

A Amazon Web Services (AWS) tem na quantidade de novos produtos e features lançadas por ano uma das forças de sua plataforma de nuvem. 

A empresa procura ouvir demandas por recursos específicos de clientes, inclusive do Brasil,  para lançar novidades em seu portfólio.

No ano passado, 1957 novos recursos e serviços foram adicionados na plataforma da companhia, especialmente em áreas como inteligência artificial, internet das coisas e machine learning.

As novidades são criadas, em mais de 90% das vezes, a partir de demandas específicas de clientes.

No Brasil, por exemplo, um time de desenvolvimento trabalha em conjunto com profissionais da sede da AWS, em Seattle, para criar recursos solicitados por clientes locais. Depois, as iniciativas podem entrar no portfólio da gigante de nuvem.

Dois trabalhos iniciados no país já fazem parte hoje dos recursos disponíveis para todos os clientes da AWS.

Um deles é Serverless Bot Framework, solução para implementação de chatbots em outros idiomas sem a necessidade de desenvolvimento de plataformas de back-end próprias do cliente para dar suporte à análise de idiomas, à abstração e ao treinamento de conhecimento. 

A solução integra-se aos serviços gerenciados, como o AWS Lambda (que permite a execução de códigos sem provisionar ou gerenciar servidores) e o Amazon Polly, para transformar texto em fala semelhante à voz humana.

“O cliente que necessita de uma feature específica entra em contato com a equipe técnica do Brasil, que abre um processo com os Estados Unidos para detalhar o recurso e trabalhar no desenvolvimento a quatro mãos. Os times fazem com que o produto siga um ciclo de produção, teste e piloto para disponibilizar o serviço”, relata Cleber Morais, country manager da Amazon Web Services no Brasil.

Apesar de não revelar números em relação à equipe da AWS no Brasil, Morais ressalta que ela está em crescimento e é maior na área técnica do que na comercial. 

O executivo conversou com a reportagem do Baguete durante o AWS Cloud Experience Porto Alegre, realizado na quinta-feira, 31.

Com o desenvolvimento focado no cliente, a companhia busca se aproximar dos usuários e difundir os novos serviços lançados todos os dias.

“Eventos de capacitação como esse que estamos realizando em diversas cidades do Brasil são uma forma de mostrar a tecnologia e apresentar novos recursos. Também treinamos os canais para que eles ajudem o cliente a entender todos os serviços e acelerar a implementação de novidades. Hoje em dia, as ações de treinamento e capacitação fazem parte da sobrevivência das empresas”, ressalta o country manager.

Para ele, os novos lançamentos constantes da companhia são peça-chave para a liderança no segmento de nuvem.

“A tecnologia permite hoje que o cliente tome uma decisão sobre um fornecedor mas faça uma migração relativamente simples caso mude de ideia. No entanto, levamos sempre inovação, disponibilidade e segurança, que fazem os clientes optarem por contratar e continuar com a AWS”, diz Morais.

Em 2018, a AWS liderou com folga o mercado de infraestrutura em nuvem, com uma fatia de 47,8% do mercado de acordo com o Gartner. As empresas que tentam crescer sua participação são Microsoft Azure (15,5%), Alibaba Cloud (7,7%), Google (4%) e IBM (1,8%).