Os dispositivos Fitbit oferecem ao Google uma base mais forte para desenvolver futuros wearables integrados ao Android. Foto: Divulgação.

O Google firmou um acordo para adquirir a empresa de wearables Fitbit por US$ 2,1 bilhões. 

Em um post no blog para anunciar o movimento, Rick Osterloh, vice-presidente sênior de dispositivos e serviços do Google, diz que a compra é "uma oportunidade de investir ainda mais no Wear OS, além de introduzir no mercado os dispositivos portáteis Made by Google".

Em comunicado à imprensa, a Fitbit destaca a privacidade dos dados de saúde e condicionamento físico. De acordo com o documento, as informações capturadas pelos dispositivos Fitbit não serão usadas ​​para anúncios do Google.

Para o The Verge, a aquisição faz sentido para o Google, que passou anos tentando entrar no mercado de wearables com sua plataforma Wear OS, mas falhou em causar um impacto real no segmento. Agora, conta com uma empresa consolidada do setor em seu guarda-chuva.

Os dispositivos da Fitbit oferecem ao Google uma base mais forte para desenvolver futuros wearables integrados ao Android. 

Além disso, a força da empresa no rastreamento de condicionamento físico pode naturalmente ser integrado aos aplicativos existentes do Google Fit, oferecendo uma alternativa à profunda integração do rastreamento de condicionamento físico do Apple Watch com o iPhone.

As habilidades de software do Google e o suporte a desenvolvedores podem ajudar a ampliar os recursos de inteligência dos smartwatches da Fitbit. 

O movimento de aquisição da Fitbit não foi o único investimento recente do Google em wearables focados em fitness: em janeiro, a empresa aplicou US$ 40 milhões para comprar uma tecnologia de smartwatch da Fossil.