Marisa quer aumentar vendas online. Foto: divulgação.

A Marisa fez uma série de melhorias nos seus sistemas de e-commerce, visando se adaptar à realidade de lojas fechadas e clientes temerosos nos últimos meses devido ao coronavírus.

O projeto foi entregue pela FH, consultoria paranaense que já atuava na varejista de moda feminina desde a implementação em 2017 do C/4, software de gestão de relacionamento (CRM, na sigla em inglês) com clientes da SAP rodando no banco de dados em memória Hana.

Parte do trabalho da FH agora foi justamente melhorar a integração do C/4 com o sistema de gestão Linx, um ERP especializado em varejo usado pela Marisa.

“Queríamos ganhar escalabilidade e ampliar as possibilidades de integração multicanal, um dos nossos maiores focos para oferecer alternativas para o momento da compra”, afirma Arnaldo Borim, Head de e-commerce na Marisa.

Assim, a melhoria da integração entre os sistemas permitiu a troca e devolução de produtos sem a necessidade de entrar em contato com SAC e a possibilidade de retirar compras diretamente nas 350 lojas da Marisa no país, além do uso das mesmas lojas como centros de distribuição, dando capilaridade para a entrega dos produtos.

Entre abril e julho deste ano, o e-commerce da companhia teve aumento de “três dígitos” no volume de venda, em comparação com o mesmo período do ano passado, revela a FH em nota.

Segundo uma matéria do Brazil Journal em abril, o e-commerce representava então apenas 7% do faturamento da Marisa.

“Tivemos de ser ágeis para revisar nossa infraestrutura e arquitetura virtual para manter o nível de serviço por conta do crescimento significativo que tivemos. Foi quase uma segunda Black Friday”, comenta Borim. 

A FH afirma ser responsável por cerca de 80% dos projetos de Customer Experience da SAP implementados no país desde 2014.

CX é como a SAP chama toda a sua oferta de softwares relacionados com CRM.

A FH, consultoria SAP sediada no Paraná, fechou o ano passado com um faturamento de R$ 168 milhões, uma alta de 25% frente aos resultados de 2018. A meta para 2020 é R$ 200 milhões, uma alta de 19%.

A FH foi comprada no ano passado pela Itelligence AG, uma multinacional alemã focada no mercado SAP, em um negócio anunciado em outubro e concluído oficialmente no dia 11 de dezembro. A Itelligence é parte do grupo japonês NTT Data.