Rodoviárias no interior não são bom negócio. Foto: flickr.com/photos/governomunicipaldeitanhaem

Tamanho da fonte: -A+A

O Daer cogita implementar a partir de 2014 terminais de autoatendimento em pelo menos 250 cidades do Rio Grande do Sul onde não há interessados em administrar os terminais rodoviários.

Os administradores das rodoviárias ganham 11% do valor das passagens, o que, em muitas cidades, não é um negócio atrativo

A adoção do sistema seria inédito no Brasil, informa a Zero Hora. Um protótipo já foi construído e deve ser colocado em funcionamento para testes em São Leopoldo, em data a ser definida.

O aparelho foi projetado para receber dinheiro e aceitar cartão, com possibilidade para compra de passagens e pagamento de contas.

No ano passado, das 274 rodoviárias que tiveram o serviço licitado no ano passado, 80 não tiveram interessados. Em outras 12, as empresas participantes não atenderam aos requisitos do edital.

Além dessas, há possibilidade de que as máquinas também sejam instaladas em 171 municípios que hoje não dispõem de estações.

Existem duas alternativas de modelo de negócio em estudo pelo Daer. A primeira é instalar as máquinas em estabelecimentos comerciais, que manteriam os aparelhos e ajudariam os usuários com dificuldades.

Outra opção é abrir licitação para que uma única empresa assuma o serviço no estado, responsabilizando-se pela instalação e manutenção.

O projeto do Daer prevê que as máquinas sejam interligadas com o sistema central, permitindo acompanhar o fluxo de passagens.