Impressoras não venderam bem no Brasil no ano passado. Foto: flickr.com/photos/N000@7

Tamanho da fonte: -A+A

O Brasil não anda comprando muitas impressoras, não. Segundo dados divulgados pelo IDC, em 2012 foram vendidas cerca de 4,1 milhões de equipamentos, uma queda de 17,6% em relação a 2011.

De acordo com a consultoria, a retração mostra que o mercado de impressão está mudando no país. Fatores como o aumento da taxa cambial, desaceleração da economia local e a queda nas vendas de PCs, assim como a falta de investimentos do governo, foram citados como colaboradores deste revés.

Outro motivo considerado importante na redução das vendas foi o setor corporativo, que não investiu e foi cauteloso na compra de novas impressoras durante o ano, destaca a Computerworld.

Do total de equipamentos de impressão comercializados no ano passado, 74,5% são de jato de tinta, 24,6% laser e apenas 1% matricial.

“O mercado de inkjet foi o mais impactado, sofrendo uma retração de 21,3% em relação a 2011. Já o mercado Laser sofreu queda de 4,8% e o Matricial caiu 3,7%”, afirmou o analista da IDC Diego Silva.

Embora os dados do IDC referentes ao primeiro trimestre deste ano ainda não foram concluídos, o analista apontou uma pequena recuperação do setor em fevereiro, com um crescimento de 4,4% nas vendas de unidades em relação a janeiro.

Em volumes absolutos, no segundo mês do ano foram vendidos aproximadamente 275 mil equipamentos de impressão. No período, os equipamentos laser demonstraram aumento no volume de vendas de 27,9% e os equipamentos inkjet decréscimo de 2,9%.

A IDC espera um pequeno crescimento no mercado de equipamentos de impressão em 2013, atingindo vendas da ordem de 4,2 milhões de unidades. A tecnologia inkjet deve crescer 0,8% e a laser 6,5%. A matricial, por outro lado, deve cair cerca 3,9%.