Governador Tarso Genro esteve na inauguração do CICC. Foto: divulgação.

Foi oficialmente inaugurado nesta segunda-feira, 02, o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), espaço que centralizará os trabalhos de monitoramento e gestão da segurança pública na capital gaúcha.

A estrutura, que fica no prédio da Secretaria da Segurança Pública, no centro da cidade, será um dos espaços-chave para a estratégia de segurança durante a Copa do Mundo, que se inicia na próxima semana.

O local abrigará diversas instituições da segurança pública, saúde, mobilidade urbana e defesa do Estado, do município, do país e representantes de polícias do exterior.

Depois do evento, o local, que é resultado de um investimento de R$ 40 milhões do Ministério da Justiça, continuará a serviço da segurança no estado mesmo após o evento esportivo.

A ação do CICC focará principalmente nos pontos com maior concentração policial, como o entorno do Estádio Beira-Rio e o Caminho do Gol - 3,5 km começando no Mercado Público, seguindo pela Avenida Borges de Medeiros, Avenida Padre Cacique, até o cruzamento com a Avenida José de Alencar - com cerca de mil servidores de diversos órgãos.

Também serão priorizados pontos turísticos, Acampamento Farroupilha, estacionamentos de ônibus de turistas, hotéis e FanFest - no Anfiteatro Pôr-do-sol. O número de servidores nesses locais vai variar conforme os horários e dias dos jogos. Para a capital gaúcha, são esperados 270 mil turistas.

Ao todo, serão 5,2 mil servidores da segurança pública durante a Copa do Mundo em Porto Alegre, que ficarão envolvidos somente com ocorrências do evento. 270 deles ficarão no CICC.

As soluções para o centro de comando são de um consórcio encabeçado pela Agora Telecom e firmado com o Governo Federal. Com 40% de participação, a empresa dividirá o contrato licitado em R$ 244 milhões com a Unisys, Comtex e Módulo.

O acordo prevê o fornecimento de serviços de radiocomunicação, telefonia, redes (LAN e WLAN), videoconferência de alta definição para os centros.

As quatro companhias contarão com a parceria das multinacionais Mitel, Magor e Motorola Solutions e Extreme Networks, que entrarão com os equipamentos de rede e infraestrutura adicional, atendendo os pré-requisitos de segurança exigidos pelo ministério.