SAP cria novo fundo para investir. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A SAP anunciou que pretende destinar mais de US$ 650 milhões para a criação de um novo fundo de investimentos, o SAP Ventures Fund II.

Conforme aponta a SAP, o novo fundo focará principalmente em soluções tecnológicas para uso empresarial. Em termos de investimento, é um salto em relação ao primeiro SAP Ventures, que investiu US$ 353 milhões desde 2011. A informação é da Reuters.

Com a iniciativa, a empresa alemã quer fortalecer ainda mais a sua presença no fomento a startups, em uma tendência que está aumentando, segundo apontam analistas: a de grandes corporações criando divisões de venture capital, em contraponto aos investidores tradicionais.

Segundo dados da National Venture Capital Association, 10,9% dos dólares de venture vieram de corporações no primeiro semestre do ano. Em 2012, esta fatia era de 8,4%.

A SAP Ventures, embora independente e sediada em Palo Alto, cidade californiana no coração do Vale do Silício, tem seu dinheiro ligado diretamente à sua empresa-mãe, na Alemanha.

Para a gigante alemã do ERP, ao investir em start-ups a companhia tem acesso em primeira mão às inovações tecnológicas que podem ajudar futuramente em seus negócios. Para as startups, contar com o apoio de empresas consagradas é um impulso importante.

"Queremos ser conhecidos como o melhor fundo para empreendedores que criaram produtos eficientes e querem realmente escalar sua produção", afirmou Nino Marakovic, CEO da SAP Ventures.

Além dos dois fundos SAP Ventures, a companhia desenvolveu em 2012 o SAP HANA Real Time Fund, uma iniciativa de US$ 405 milhões que investe em fundos de terceiros, todos ligados pelo uso da plataforma de computação SAP HANA.

Com os US$ 650 milhões do Ventures II, a SAP já entra na liga dos grandes fundos de investimento de 2013. Segundo analistas, embora o valor não bata capitais bilionários como New Enterprise Associates, ja é o suficiente para estar entre os maiores.

"Corporações tipicamente não aparecem no ranking dos maiores fundos de capital de risco, porque eles operam de forma diferente dos fundos tradicionais, que levantam dinheiro de parcerias, instituições e outros meio", afirma a analista da Reuters Sarah McBride.

Um exemplo de empresa que criou sua operação própria para investir em startups é o Google, que investe cerca de US$ 300 milhões/ano por meio da Google Ventures - beneficiando empresas como a desenvolvedora de aplicações de transporte Uber, por exemplo.

Outras companhias também seguem este caminho, como a Intel - que atualmente conta com mais de US$ 1,5 bilhão investidos em startups.

A fabricante de chips Qualcomm também investe, com um orçamento anual de US$ 800 milhões destinado a isso. Entre as empresas beneficiadas estão o serviço de navegação Waze.