Grupo Bom Jesus é um grande produtor de soja. Foto: Kartinkin77 / Shutterstock.

O Grupo Bom Jesus, um dos maiores produtores de commodities (soja, milho, algodão) e sementes do Brasil, com faturamento de R$ 2 bilhões no ano passado, é o quarto cliente no país do SAP S/4 Hana, a última versão do sistema de gestão da multinacional alemã.

Formado por um conglomerado de mais dez empresas, com forte presença também na área de transportes e armazenagem, o Bom Jesus já havia implementado com sucesso o SAP ERP. 

O projeto Inovar, iniciado em 2013, foi feita com consultoria da Agile e PWC focando no back office de algumas das empresas e agora entra na sua segunda fase, na qual será implantada a parte de gestão agrícola para outras empresas produtora de grãos.

“Com a solução, unificamos as informações entre as áreas, trazendo mais clareza, transparência e segurança na informação”, explica Valdoir Slapak, diretor financeiro-corporativo do Grupo.

Além do Grupo Bom Jesus, outras três empresas tiveram projetos com o S/4 Hana divulgados.

A lista inclui a Diagnósticos da América S.A (Dasa), gigante do setor de medicina diagnóstica com receita bruta de R$ 3 bilhões; o Ceitec, estatal federal do segmento de semicondutores instalada em Porto Alegre e o Instituto de Resseguros do Brasil (IRB-Brasil).

O S/4 é a aposta definitiva dos alemães para entrar no mercado de banco de dados com a suíte de processamento em memória Hana.

Com o S/4, o ERP da SAP rodará exclusivamente sobre hardware Hana homologado pela própria companhia.

A migração está sendo conduzida módulo a módulo, com o primeiro deles sendo o SAP Simple Finance, uma solução setor para o setor financeiro.

O processo de migração será longo, no entanto, o suporte a outros bancos de dados é prometido até 2025.