Nokia vende o Here. Foto: divulgação.

Depois de meses de rumores e possíveis ofertas, a Nokia anunciou oficialmente a venda de sua divisão de mapas, o Nokia Here, por US$ 3 bilhões.

A venda foi concretizada para um consórcio formado pelas montadoras alemãs Audi, BMW e Daimler (divisão da Mercedes-Benz), que aumentou sua oferta inicial de US$ 2,7 bilhões para levar a tecnologia.

De acordo com analistas, as fabricantes usarão a tecnologia para aumentar suas capacidades na competição pelo mercado de veículos guiados de forma automatizada, um segmento onde empresas como Google e Uber estão tomando a dianteira.

Em maio, O Uber chegou a entrar na concorrência para levar o Nokia Here e ter uma tecnologia própria para suportar seus sistemas de navegação. Entretanto, em junho, a empresa firmou uma parceria com a Microsoft, passando a usar o Bing Maps em seu software.

"O foco será em desenvolver mapeamento preciso e apurado assim como serviços que disponibilizarão novos tipos de experiência para os motoristas, incluindo direção altamente automatizada", afirmou o consórcio em nota.

Assim que a unidade de mapas for vendida, a Nokia ficará com duas unidades, a Nokia Networks, focada em produtos de conectividade e Nokia Technologies, de pesquisa e licenciamento em inovação.

Além disso, segundo aponta o The New Web, a venda libera o caminho para uma nova transformação na Nokia, que compreende uma fusão com a Alcatel-Lucent e aponta um foco renovado em tecnologias de rede e infraestrutura de comunicação.

Analistas estimam que o acordo, a ser realizado no primeiro semestre de 2016, resultará em uma nova potência global no mercado de telecomunicações, rivalizando com nomes grandes como Ericsson e Huawei.

Conforme destacam fontes ligadas à negociação, os valores do negócio ainda são um ponto de indecisão entre as partes. O valor de mercado da Alcatel-Lucent é de aproximadamente € 11 bilhões, enquanto o da Nokia é de € 28 bilhões.

Uma fusão da Nokia com a Alcatel criaria uma empresa com uma receita combinada de aproximadamente € 26 bilhões e mais de 100 mil empregados, com negócios abrangendo celulares, comunicação wireless e roteadores de rede.