DESENVOLVIMENTO

Sou Energy reformula área de TI

03/09/2021 13:23

Cearense é especializada em energia fotovoltaica, mas está criando produtos de tecnologia.

Lilian Schramm, gerente de tecnologia e novos produtos da Sou Energy. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Sou Energy, empresa cearense que está entre os maiores distribuidores de equipamentos fotovoltaicos do país, reformulou recentemente sua área de tecnologia, implantando uma software house interna para planejar, desenvolver e comercializar sites, aplicativos, sistemas e desenvolvimento de software.

Segundo a empresa, o olhar para a área já vinha desde o ano passado, quando começou a investir em robótica e enxergou a possibilidade de desenvolver novos produtos internamente.

A companhia já contava com setores de Business Intelligence (BI), e-commerce, Tecnologia da Informação e novos produtos e, no início de 2021, juntou esses departamentos em uma única equipe e começou a montar seus times de hardware, firmware e software.

Em vez de ser dividida por setores, a área batizada de Tecnologia e Novos Produtos agora é separada por projetos, que utilizam diversos conceitos mas têm como princípio a  metodologia ágil baseada em squads, pela questão de multi-habilidade.

O time que só desenvolvia novos produtos também está desenvolvendo automação, melhorando a eficiência da produção da empresa, enquanto a parte de TI deixou de ser voltada apenas para infra e rede, compreendendo também o conhecimento em elétrica e automação.

“Enxergamos que o setor de TI de uma empresa não é somente cabeamento de rede, mas sim automação, inteligência, tecnologia, informações mais rápidas, nuvem. Com o novo setor, a gente está conseguindo implantar toda essa tecnologia internamente”, conta Lilian Schramm, gerente de tecnologia e novos produtos da Sou Energy.

Já os programadores, que eram muito voltados para a parte de novos produtos, estão também desenvolvendo softwares internos para a empresa, melhorando gerenciamento e fazendo análise de BI.

Hoje, o time conta com mais de 30 desenvolvedores especializados em diferentes linguagens, entre elas C#, Magento, Python e C++.

“Como eu já tenho uma equipe de hardware e firmware, fica muito mais fácil chegar na produção e desenvolver novos produtos . Estamos juntando todo mundo para fazer vários produtos internos e externos”, explica Schramm.

De acordo com a gerente, a reformulação deixou a equipe mais enxuta, multidisciplinar e dinâmica. As mudanças teriam trazido melhora na comunicação, união dos setores e melhora em projetos.

“Para alcançar os objetivos da empresa, precisamos de tecnologia e confiabilidade em tudo que fazemos para entregar um produto melhor para o nosso cliente final. Primeiro fazemos muitos testes internos e, muitas vezes, o produto é tão bom que nós lançamos para fora também”, explica Schramm.

No seu primeiro projeto de robótica, ainda em 2020, a Sou Energy contou com o apoio da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE).

O produto desenvolvido foi um robô físico que atua como promotor de vendas, interagindo com as pessoas através de reconhecimento facial. Para deslocamento no espaço, ele utiliza inteligência artificial e machine learning.

Recentemente, a empresa lançou outro robô, desta vez voltado à área de delivery. Ele pode atuar como um garçom ou entregar produtos em quartos de hotel e apartamentos, utilizando tecnologia IoT para se comunicar com catracas e elevadores.

Em breve, a companhia deve lançar um robô promotor de vendas parecido com o do ano passado.

A proposta é que ele interaja com as pessoas e locais como shoppings e fale sobre produtos, levando-as até as lojas caso haja interesse ou capturando leads para que um consultor tente um contato mais próximo.

Em pouco tempo, também deve ser lançado um aplicativo interno para vendas, desenvolvido em 40 dias, além de um projeto de kits para transformar bicicletas normais em elétricas, que serão montados pelo próprio usuário e virão com bateria de lítio produzida pela Sou Energy.

Outros estudos que estão em andamento na companhia são na área de inventário e, quando as soluções estiverem em funcionamento, a ideia é começar a comercializar isso para outras empresas que queiram implantá-las dentro dos seus centros de distribuição.

“Eu vejo que o nosso futuro não é ficar somente nos kits fotovoltaicos, mas sim em um mix de produtos de alta qualidade e alta tecnologia que vamos fornecer para o nosso cliente. Acredito que, até 2022, a gente vai ser referência no mercado em produtos tecnológicos”, projeta a gerente de tecnologia e novos produtos.

Fundada em 2015, a Sou Energy tem sede em Fortaleza e afirma estar entre as seis maiores distribuidoras de equipamentos fotovoltaicos do país, além de ser a maior do Norte e Nordeste, com mais de 6,5 mil revendedores ativos em todo o Brasil.

A empresa atua em um mercado promissor. De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), em 2020 o Brasil entrou para a lista dos 10 países com maior produção de energia solar do mundo.

Atualmente, a energia fotovoltaica representa apenas 1,8% da matriz energética nacional, o que indica um grande potencial de crescimento das soluções de geração distribuída solar no Brasil, quando comparado a outros países, especialmente considerado os altos níveis de irradiação solar.

Veja também

TÚNEL
Hyperloop no RS: dá para fazer

Mas custa US$ 7,71 bilhões, aponta estudo de viabilidade da rota Porto Alegre - Serra Gaúcha.

FINTECH
ZigPay recebe aporte de R$ 40 milhões

Rodada série A teve a participação de empresários da SmartFit e da Lojas Marisa.

LOGÍSTICA
Santos Brasil cria app para caminhoneiros

A ferramenta busca facilitar a chegada dos motoristas aos terminais portuários.

REFORÇO
Serrano assume SAP na Meta

Executiva foi CIO da indústria de alimentos AB e PMO na Takeda.

LOGÍSTICA
Braskem cria plataforma com Infosys

A ideia do projeto é conectar produtores e transportadores de cargas em um ambiente digital.

FINTECH
Nubank compra Spin Pay

A paulistana é especializada em Pix e Open Banking para o varejo on-line.