Foto: flickr.com/photos/tomashallenberg

Tamanho da fonte: -A+A

Uma pesquisa global da Michael Page, consultoria em recrutamento executivo especializado em média e alta gerência, mostra que o Brasil ocupa o segundo lugar mundial em remuneração aos diretores financeiros (CFOs).

O estudo foi feito com 4,3 mil CFOs ao redor do mundo, sendo 500 deles brasileiros, que são ultrapassados pelos americanos.

No país, 41% desses profissionais acumulam remuneração superior a US$ 255 mil anuais. Nos Estados Unidos, 49%, acumulam ganhos superiores a US$ 255 mil anuais.

Na Europa, com países afetados pela crise econômica, o percentual de profissionais que têm salários desta faixa não passam de 13%.

A Europa é a única região que concentra 59% dos CFOs com remuneração inferior aos US$ 155 mil por ano, enquanto nos Estados Unidos esta fatia é de 23% e na América do Sul 37%.

No continente asiático, que de acordo com a Michael Page tradicionalmente paga menos que o ocidente, o percentual de executivos com remuneração inferior a US$ 155 mil é de 57%.

EXPERIÊNCIA INTERNACIONAL
A pesquisa constatou que 60% dos CFOs com remuneração anual abaixo de US$ 80 mil não havia passado por uma experiência na carreira fora do seu país de origem.

Por outro lado, entre os CFOs com remuneração anual superior a US$ 255 mil, apenas 26% não exerceram atividade profissional fora de seu país de origem.

O estudo mostra ainda que existe uma relação entre experiência internacional e o porte da empresa.

Entre as empresas com mais de cinco mil funcionários, 70% dos CFOs tiveram experiência internacional.

Nas companhias com menos de mil funcionários o percentual de diretores que atuaram fora em algum momento da carreira é de 59%.