Para marcar sua entrada no Brasil, OurCrowd realizou um evento em São Paulo. Foto: Divulgação.

A OurCrowd, investidor de venture capital de Israel, abrirá seu 13º escritório global em São Paulo, o primeiro da companhia da América Latina.

"Estimamos para a América Latina um grande aumento de investimentos de venture capital nos próximos anos. Israel investirá US$ 8 bilhões em venture capital até o final do ano, enquanto um continente inteiro como a América Latina terá US$ 2 bilhões. Vejo isso como uma oportunidade e a América Latina como o lugar para se investir", diz Jon Medved, CEO da OurCrowd.

A filial da OurCrowd será liderada por Rodrigo Monteiro, general partner da organização. Antes de ingressar na empresa, em 2018, ele foi fintech analyst no Banco Porto Real.

"Na esteira de incríveis unicórnios despontando na América Latina, como Movile, iFood, Nubank, Rappi, 99 e, recentemente, Gympass, sabíamos que o melhor lugar para expandir a experiência global bem-sucedida da OurCrowd era no Brasil", diz Monteiro.

A OurCrowd conecta investidores e startups ao redor do mundo. A companhia já levantou mais de US$ 1,28 bilhão de capital, com investimentos já realizados em 200 empresas e fundos diversificados.

Para marcar a entrada no país, a empresa realizou o OurCrowd Sync, primeiro evento em São Paulo. O encontro foi o primeiro de uma série de grandes evento internacionais que antecedem o OurCrowd Global Investor Summit. Sediado anualmente em Jerusalém, a conferência reuniu mais de 18 mil participantes de 183 países no último ano.

No evento de São Paulo, um dos painelistas foi André Maciel, sócio-gerente do Softbank Latam Innovation Fund, que está investindo US$ 5 bilhões em startups na América Latina.

O fundo japonês também chegou ao país neste ano, com a contratação de Maciel. O time do SoftBank Innovation Fund dedicado à região tem ainda dois executivos baseados em Miami: Shu Nyatta, ex-JP, no Softbank desde 2015, e Paulo Passoni, ex-diretor administrativo e analista da Third Point LLC, com foco em investimentos na América Latina.

A expectativa do fundo é investir em fintechs, e-commerce, health tech, mobilidade e seguros.