Jorge Krug. Foto: divulgação.

O Banrisul quer se estabelecer como um player local no fornecimento de soluções de certificação digital, tecnologia que possibilita comprovar a identidade de uma pessoa, empresa ou um site no ambiente on line.

De acordo com o banco, clientes pessoa física e pessoa jurídica podem adquirir o certificado, com validade de até três anos e valores que variam entre R$ 120 e R$ 380, valores abaixo da média de mercado.

Para correntistas, o certificado pode ser disponibilizado no próprio cartão de conta corrente e poupança, em um cartão dedicado (Certificado A3),  ou no computador do cliente (Certificado A1).

Segundo Jorge Krug, diretor de TI do banco gaúcho, a oferta partiu de uma experiência bem-sucedida do banco em operações de FGTS, em que clientes empresariais começaram a usar uma tecnologia do próprio banco para certificação digital.

"Temos também experiência com a Secretaria da Fazenda-RS. O Portal do Contribuinte Gaúcho também usa nosso padrão de certificação digital", completa o executivo.

Conforme explica o diretor, o banco é credenciado pelo ICP-Brasil, intituição que estabelece políticas, critérios e normas para licenciamento de autoridades certificadoras.

Por sermos um banco estatal, Krug também aposta em oferecer preços reduzidos em relação à concorrentes privados e mais conhecidos no segmento, como Certisign e outros.

"No segmento financeiro somos pioneiros neste tipo de oferta. A maioria de outros bancos que tem soluções de certificação digital faz isso por meio de parcerias com terceiros", afirma o executivo.

Perguntado sobre metas de crescimento e clientes esperados com o novo produto, Krug não deu números, mas destacou que o potencial da solução é grande. Para o diretor, aos poucos empresas e pessoas físicas estão percebendo o crescimento de serviços compatíveis com a tecnologia e a praticidade que ela traz.

"Vejo um grande crescimento para essa solução, já no próximo ano, para soluções como nota fiscal eletrônica, pregão eletrônico, validações jurídicas. Do nosso lado, estamos investindo em uma oferta com preço reduzido, o que também pode chamar uma maior atenção do publico", completa Krug.

A visão de Krug encontra respaldo em dados do mercado nacional. Segundo a Associação Nacional de Certificação Digital (ANCD), a movimentação realizada através destes certificados já representa R$ 6,6 trilhões por ano.

Conforme dados divulgados pela própria ANCD no início de 2015, o ano pode representar um crescimento de 20% no uso da tecnologia em relação ao ano passado. Atualmente a tecnologia já atende a mais 2 mil aplicaçõesde uso no país, passando por pagamentos, consulta de dados até transferência de documentos e valores.