Thaisa Bergmann. Foto: Brigitte Lacombe.

A Fundação L'Oréal e a Unesco escolheram a astrofísica brasileira Thaisa Bergmann como uma das cinco laureadas da 17ª edição do prêmio internacional For Women in Science. A professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul foi escolhida por sua contribuição ao estudo dos buracos negros.

Representando a América Latina, Thaisa Bergmann foi homenageada pelo trabalho que levou ao entendimento sobre como buracos negros maciços se formam nos centros das galáxias, como evoluem e as moldam. 

“Fico muito feliz e realizada por ter meu trabalho reconhecido, tanto como cientista como mulher. Faz sentir que minha dedicação valeu a pena. Este reconhecimento é muito importante para mim perante minha família e, principalmente, meus filhos, que nem sempre entendiam porque eu não podia estar presente em alguns momentos importantes para eles”, comenta Thaisa Bergmann.

Além de seu Prêmio anual, a parceria L’Oréal-UNESCO criou nesta edição o programa “Talentos Internacionais em Ascensão”, com o objetivo de acelerar o avanço de 15 jovens mulheres na ciência em todo o planeta. 

Esses talentos foram escolhidos entre mais de 230 bolsas de estudo concedidas a cada ano nas edições regionais do programa, em todo o mundo, incluindo o Brasil.

Para este novo prêmio, a jovem cientista Carolina Andrade, da Universidade de Goiás, foi reconhecida por sua pesquisa para o tratamento da Leishmaniose, que afeta cerca de 12 milhões de pessoas em todo o mundo. 

Em 2014, a farmacêutica foi uma das sete vencedoras do único programa brasileiro dedicado a mulheres cientistas, que é realizado pela L'Oréal em parceria com a Unesco e a Academia Brasileira de Ciências. 

Ambas serão homenageadas no dia 18 de março, em cerimônia que acontecerá na Sobornne, em Paris.