Sascar investe para crescer. Foto: divulgação.

A Sascar, empresa paulista de rastreamento de veículos, anunciou metas de crescimento de 15% a 20% ao ano, após cancelar seus planos de uma oferta pública de ações.

A companhia, controlada pela GP Investimentos, tinha anunciado em 2013 que iria abrir seu capital, uma operação que poderia alcançar R$ 600 milhões. No entanto, a companhia reviu seus planos de expansão e decidiu captar menos recursos no mercado.

Segundo informa o Valor, a companhia fez este mês uma emissão de debêntures simples no total de R$ 100 milhões, com vencimento em cinco anos. A operação foi coordenada pelo Santander e pelo HSBC.

Segundo Márcio Trigueiro, presidente da Sascar, o preço discutido no IPO não era interessante para os sócios, e a captação com BNDES, Banco do Brasil e Itaú, a Sascar se mostraram suficiente para o plano da companhia.

No ano passado, a companhia registrou lucro líquido de R$ 21 milhões, ante R$ 1 milhão em 2012. A receita aumentou 22% no período, para R$ 280,4 milhões. Em três anos, a companhia ampliou a receita em 88%.

Para crescer acima de 10%, a companhia começou a investir em uma nova frente: o rastreamento de veículos de passeio, seguindo o já oferecido serviço de rastreamento de caminhões e outros veículos pesados, que já atende 20 mil empresas e 21 mil caminhoneiros autônomos, abrangendo um total de 230 mil veículos.

Além disso, uma parceria com Telefônica/Vivo prevê o lançamento de um serviço de rastreamento para 76,1 milhões de clientes da operadora móvel.

Nos últimos três anos, a companhia investiu R$ 40 milhões em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias. Para este ano, a companhia prevê investir entre R$ 10 milhões e R$ 15 milhões neste setor.