Funcionário da Ferroeste em ação. Foto: Ferroeste.

O Grupo Ferroeste, fabricante líder no país de aço, combustível e energia, migrou o serviço de suporte do seu sistemas de gestão SAP ECC 6.0 para a Rimini Street.

Em nota, a Rimini destaca que a expectativa da Ferroeste é uma economia de R$ 2 milhões em custos totais de suporte até 2025, com a redução da taxa anual de manutenção em 50%.

O custo de manutenção do SAP chegava a 22% do valor total dos contratos de licença da Ferroeste.

“Precisávamos de um suporte eficiente e também de um parceiro estratégico para ajudar a acelerar nossa jornada de transformação digital, e eu estava vendo uma tendência de mercado de mudar para suporte independente a fim de aliviar as desvantagens do controle de fabricantes de TI” disse Enéas de Alcântara Silva, gerente de TI do Grupo Ferroeste.

Silva agrega ainda uma cutucada sobre tempos de resposta. “A resposta lenta do fabricante estava causando muitos atrasos internamente, mas agora temos suporte extremamente ágil e tempos de resposta em apenas 1 minuto, independentemente do tipo de problema”, comenta o gestor.

Também pesou o custo de adesão a novas às novas obrigações tributárias, legais e regulatórias da época, como REINF e Nota Fiscal Eletrônica 4.0.

“Com a Rimini Street, esses projetos fiscais são desenvolvidos dentro do próprio contrato de suporte, sem custo adicional”, comenta Silva.

O Grupo Ferroeste foi criado no estado de Minas Gerais há 40 anos e inclui empresas como AVB, CBF Indústria e CVB. A companhia opera usinas nos segmentos de aço, combustível e energia, produzindo aço, ferro-gusa, álcool, gases de ar e cimento.

A Rimini Street fechou o ano passado com uma receita de US$ 252,8 milhões, uma alta de 19% frente aos resultados de 2017.

Ao todo, a empresa teve 1.802 clientes ativos no final do ano fiscal, alta de 15% ao ano.

No Brasil, onde a empresa abriu as portas em 20011 para atender um contrato com a Embraer, a lista de clientes tem 70 nomes, incluindo Riachuelo, Tupy, Marisol, Camargo Corrêa e Atento.

Ao fechar um acordo com a Rimini, os clientes da SAP e Oracle deixam de receber o suporte e os upgrades, permanecendo na mesma versão do sistema com suporte da Rimini.