Pais tem direitos iguais no Twitter. Foto: Pixabay.

O Twitter anunciou uma licença paternidade de 20 semanas para seus funcionários homens no Brasil, prazo igual ao da licença maternidade das mulheres.

De acordo com a CLT, pais tem direito a uma licença de apenas cinco dias. Mães pode ter licenças de entre 120 a 180 dias (de 4 a 6 meses).

O programa, que teve início nos Estados Unidos em maio deste ano, está sendo adotado internacionalmente em todos os escritórios do Twitter e passa a valer também para os 100 funcionários que trabalham no Brasil, divididos entre Rio de Janeiro e São Paulo. 

“Isso facilita a priorização da família neste momento importante e a participação igualitária de pais e mães na vida dos filhos, colaborando também para a reintegração das mulheres no retorno ao trabalho e para sua carreira no futuro”, afirma Mariabrisa Olivares, Diretora de Recursos Humanos do Twitter para a América Latina. 

Diversos países tem aprovado legislação visando incentivar licenças paternidade mais longa para homens, devido a percepção de que o cuidado exclusivo por parte das mulheres nos primeiros meses de vida acaba significando uma barreira no crescimento profissional feminino.

A iniciativa tem começado a penetrar no Brasil. Recentemente a Natura, por exemplo, passou a conceder licenças paternidade de 40 dias.

O Twitter oferece ainda um programa de encontros entre as funcionárias gestantes e uma enfermeira obstetra, que aborda temas como atividade física, alimentação, sintomas de trabalho de parto, cuidados com o recém-nascido, entre outros.

Além disso, durante todo o período de amamentação, as funcionárias do Twitter que precisarem viajar a trabalho terão todas as despesas pagas caso desejem fazer o envio de leite materno aos filhos. 

Nos escritórios da companhia, o Twitter coloca à disposição uma sala exclusiva onde as mães podem amamentar e extrair leite.