INDÚSTRIA

Gerdau terá rede 5G com Embratel e Claro

04/07/2022 11:36

Rede privativa dedicada será implementada na usina de Ouro Branco, Minas Gerais.

Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Gerdau assinou um contrato com a Embratel, marca da Claro, para implementar uma rede privativa dedicada 5G e Long Term Evolution (LTE) 4G na planta industrial de Ouro Branco, Minas Gerais, a maior usina da companhia no mundo, criando uma rede de transporte (backbone) de TI.

Dividido em três fases, o projeto prevê a instalação de torres no local para ampliar a abrangência da conectividade e as possibilidades de automação, com cobertura em mais de 8,3 milhões de m².

No início, será instalada uma rede privativa LTE 4G com capacidade total de 256 Mbps. Já nessa etapa, a área coberta deve ser maior do que a atual, possibilitando o aumento da abrangência das iniciativas da Indústria 4.0 já adotadas na unidade.

Na segunda fase, será implantado o 5G, na frequência 3.5 GHz, e aplicações críticas não terão infraestrutura compartilhada com a rede pública. Somando as duas frequências, a planta passará a ter uma capacidade de 3,8 Gbps.

A terceira etapa envolverá o adensamento da rede privativa LTE 4G e 5G para fornecer mais capacidade combinada, chegando a 4,8 Gbps, e ampliar a cobertura para toda a extensão operacional da planta.

Cada máquina conectada receberá um SIMCard exclusivo para acessar a rede. Com isso, a autenticação do equipamento será automática, sem a necessidade do uso de senhas para conexão.

Suportada pela rede e backbone de TI instalados, a Gerdau pretende ampliar seus investimentos em tecnologias como veículos autônomos e telecontrolados, além de gêmeos digitais, Internet das Coisas e Inteligência Artificial.

“Em um cenário cada vez mais competitivo no setor, que exige uma busca contínua por mais excelência operacional, a transformação digital se torna crucial, para evolução em produtividade, segurança das pessoas e gestão sistêmica da nossa operação”, afirma Rafael Gambôa, diretor da Usina de Ouro Branco. 

Segundo a Gerdau, este é o primeiro projeto de uso da quinta geração da internet móvel no setor do aço na América Latina. 

“A Embratel está construindo uma infraestrutura digital habilitadora de inovações, que vai muito além de velocidade na transmissão de dados. A implementação do 5G significa baixíssima latência, mais disponibilidade, abrangência e capacidade de rede, aspectos fundamentais para a Indústria 4.0”, destaca Gustavo Silbert, diretor-executivo da Embratel.

Silbert salienta que a ideia é possibilitar a ampliação do gerenciamento e sensoriamento de ativos críticos, uso de carboxímetros conectados, caminhões autônomos, retroescavadeiras telecontroladas, além da monitoração inteligente por câmeras e drones para segurança preditiva.

Com 35 anos de operação, a usina de Ouro Branco tem capacidade 3,9 milhões de toneladas de aço bruto por ano, em uma planta de 10 milhões de m² com mais de 7 mil colaboradores.

A unidade possui um centro de monitoramento para os principais ativos e equipamentos estratégicos para a operação das usinas no Brasil, utilizando modelos de inteligência artificial de forma preditiva, antecipando possíveis problem as que venham a ocorrer.

Neste cenário, a nova rede privativa também deverá apoiar as ações desenvolvidas pelo centro, fornecendo mais disponibilidade e abrangência para o monitoramento.

Com 121 anos de história, a Gerdau é a maior empresa brasileira produtora de aço e uma das principais fornecedoras de aços longos nas Américas e de aços especiais no mundo. A companhia está presente em nove países e conta com mais de 36 mil colaboradores diretos e indiretos.

A Embratel, que faz parte da Claro, é um dos principais fornecedores de serviços de TI e Telecom do Brasil. A empresa fornece soluções como cloud computing, data center, segurança, Internet das Coisas, professional services, conectividade e colaboração, entre outros.

Veja também

INCENTIVO
EMBRAPII e BNDES: R$ 50 mi para TIC

Investimento vai para soluções digitais de agro, saúde, cidades inteligentes e indústria 4.0, além do 5G.

PESQUISA
Campinas tem rede de colaboração sobre 5G

O projeto reúne universidades, entidades do setor e a operadora TIM. 

CONEXÃO
Telefónica usa AWS para 5G no Brasil

Projeto aposta em uma arquitetura híbrida, com nuvem em data centers próprios.

WIRELESS
QMC Telecom testa 5G em ambiente indoor

Local escolhido foi o Bossa Nova Mall, shopping integrado ao Aeroporto Santos Dumont.

REDE
Logicalis: dados para 5G com HPE

A marca será um dos fornecedores a compor o portfólio da multinacional.

INTERNET
TIM ativa antenas 5G no Paraná

Curitiba foi a primeira cidade do Sul a receber a internet.