Sede da Dataprev em Brasília.

A Dataprev, estatal de processamento de dados da Previdência Social, fechou um contrato de R$ 17,8 milhões com um consórcio de quatro empresas para implantar e dar suporte pelos próximos cinco anos a uma solução de gestão de recursos humanos.

O consórcio MG2I é formado pela Mais2x, que atuará como integradora; pela Globalweb, em cujo data center a solução estará hospedada; pela 2Easy, que entra com o softwares de folha de pagamentos e avaliação e pela IFS, responsável pelas soluções de Business Intelligence e gerenciamento eletrônico de documentos agregadas.

“Estamos entrando numa fase pós-moderna do nosso sistema de gestão, integrando diferentes soluções”, afirma Alberto Ricardo de Oliveira, gerente do departamento de soluções de TIC da Dataprev.

O sistema de gestão da Dataprev, cuja implementação foi feita concluída em 2011, é o Protheus, da Totvs, por R$ 6 milhões. O contrato está no fim e deve ser renovado e expandido, afirma Oliveira.

As empresas estatais, antes bastiões do software livre, tem cedido aos encantos dos pacotes de mercado nos últimos tempos. 

A Caixa Econômica fechou projetos de implementação de IBM Websphere com a BRQ, outro com a Informatica Corporation e outro com SAP, este último uma iniciativa de R$ 518 milhões.

A Secretaria de Administração da Bahia vai implementar o gestão de pessoas da SAP, o Human Capital Management (HCM), em 65 empresas e órgãos públicos do estado, com consultoria da Resource IT Solutions. O valor do contrato é de R$ 38,3 milhões com duração de cinco anos.

Chamam atenção que as decisões aconteçam durante governos petistas, uma vez que o partido sempre foi um sólido defensor do software livre.

Com sede em Brasília, a Dataprev tem mais de 3,4 mil funcionários, e, além da Previdência, presta também serviços para o INSS e para a Receita Federal do Brasil, bem como para os Ministérios da Previdência Social, do Trabalho e Emprego e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. 

A empresa tem três data centers, no Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal, seis unidades de desenvolvimento de software, na Paraíba, Ceará, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Norte, além de unidades nos 27 estados da federação.