Como franqueadora, a Vivo vai oferecer conhecimento técnico na implementação de uma rede de fibra. Foto: Pixabay.

O projeto de expansão da rede fibra residencial (FTTH) da Vivo terá um impulso adicional da operadora com um novo modelo de negócio. A Telefônica vai franquear sua marca para ampliar sua capilaridade por meio de parceiros.

Como franqueadora, a Vivo oferece o conhecimento técnico na implementação de uma rede de fibra, além da experiência na comercialização de seus produtos e serviços. O franqueado passa a utilizar a capacidade técnica da empresa e a marca Vivo Fibra (banda larga de ultravelocidade). 

O modelo de negócio chega ao mercado como “Terra conectado por Vivo Fibra”. De acordo com a empresa, a escolha pelo Terra para liderar essa expansão tem relação com o “poder que a marca tem com internet e tecnologia há mais de vinte anos”.

Em 2017, a Telefônica, por meio da subsidiária integral Telefônica Data (TData), adquiriu a totalidade das ações da Terra Networks Brasil por R$ 250 milhões.

A iniciativa de franquia é focada em cidades de 20 mil a 50 mil habitantes, além de municípios ou bairros periféricos de grandes centros urbanos. 

Com o programa, a Vivo espera somar mais de 1 milhão de domicílios cobertos com fibra pelos franqueados aos 15 milhões já previstos pela expansão própria da companhia, até o final de 2021.

Atualmente, a Vivo tem cerca de 10 milhões de domicílios cobertos, em 154 cidades espalhadas em todo país.

Para os franqueados, a companhia vai oferecer uma série de processos ágeis, treinamentos gerenciais e técnicos, acesso a fornecedores, call center central único, topologia de rede garantindo estabilidade e escalabilidade, saída de Internet (circuitos IP e ponto de conexão com a rede da Telefônica para acesso à Internet), e 115 mil kms de backbone nacional. 

O franqueado será responsável pelo desenvolvimento de toda infraestrutura de rede necessária, além da gestão da operação, incluindo vendas, atendimento e instalação.

“A demanda da população é por internet, e a Vivo é a única empresa da América Latina a investir fortemente em um projeto de fibra, promovendo uma experiência única a seus clientes. Esse novo modelo de negócio da Vivo é uma oportunidade para empresas e investidores que querem entrar neste mercado, como também para aqueles que já atuam como provedores, se beneficiarem da força da marca Terra, com escala da Telefônica, e qualidade da Vivo”, explica Fernando Duschitz, gerente sênior de Franquias da Vivo.

Para se tornar um franqueado, o investidor passará por etapas como envio de propostas, simulações financeiras, testes de aptidão e outras. O investimento mínimo é de R$ 2,5 milhões, com payback estimado em 4 anos, com Taxa Interna de Retorno de aproximadamente de 30%, e contrato de 120 meses renováveis.

A expansão com este novo modelo de negócio terá início em 20 de novembro, na cidade Águas Lindas de Goiás, no interior do estado de Goiás, com cerca de 80% de cobertura do município. No início do próximo ano, o programa seguirá com mais duas cidades no Centro-Oeste, além de um cronograma de expansão que prevê cerca de 500 localidades para os próximos três anos.