Ulrich Katte.

A SAP inaugurou na terça-feira, 04, um Mission Control Center (MCC) no SAP Labs, em São Leopoldo – o segundo do Brasil, onde a multi tem seu MCC matriz em São Paulo, e o 11º no mundo, somando-se a unidades matrizes nos Estados Unidos, Alemanha, China e satélites na Austrália, Singapura, Índia, Irlanda,  Rússia e México.

Um SAP MCC é um centro de suporte avançado, integrado e apto a oferecer o máximo de personalização possível no atendimento a clientes com contratos SAP Enterprise Support. 

Para tanto, a característica destes locais é concentrar equipes de desenvolvimento, produto e, é claro, suporte. Os centros satélites são focados em garantir a compreensão e atendimento exato das demandas locais.  

O trabalho destas equipes é integrado aos ICCs (Innovation Control Centers), cujo trabalho é criar, durante implementações, soluções de customização que atendam às necessidades mais específicas de cada negócio com o máximo de proximidade possível à configuração padrão do SAP e aos OCCs (Operation Control Centers), centrais de monitoramento a implantações já rodando, atentas ao funcionamento, alertas, exceções e eventos do ambiente de TI do cliente, o que pode incluir aplicações não-SAP que interajam com o ERP.

“Decidimos implantar um novo MCC, apesar de já termos um em São Paulo, pois aqui em São Leopoldo está nossa maior concentração de experts no Brasil, mais até do que na matriz paulista, pelo papel de desenvolvimento e inovação do SAP Labs”, comentou Ulrich Katte, diretor do MCC para América Latina, ao mostrar o MCC gaúcho aos empresários que participaram do Encontro Executivo da ASUG, realizado no SAP Labs. 

Clientes com acesso aos MCCs também contam com SAP Enterprise Support Academy, portal de acesso a serviços de suporte, conteúdos informativos sobre o SAP e procedimentos relacionados, opções de e-learning, entre outras.

O objetivo final, segundo Katte, é atingir o jargão “Run SAP Like a Factory” (rodar SAP como uma fábrica), o que em idioma SAP significa garantir operações ininterruptas de ponta a ponta, com eficiência máxima dos sistemas e melhoria contínua tanto das soluções utilizadas quanto dos processos executados com base nelas. Ou, em definição “papo reto” da própria multi, “operar o SAP com o mínimo custo e esforço”.