Alexandre Glikas.

Alexandre Glikas, executivo que liderava a unidade de clientes corporativos da Locaweb e a Cluster2Go, negócio de multicloud adquirido pela empresa no ano passado, saiu da empresa.

A informação é de fontes de mercado e foi confirmada pelo Baguete.

Glikas era um executivo com muitos anos de Locaweb, empresa na qual entrou em 2008 e na qual passou por diferentes funções, a maior parte em cargos de diretoria ligados à área comercial.

Segundo o Baguete ouviu de pessoas com conhecimento da Locaweb, Glikas era próximo dos fundadores da empresa, Gilberto Mautner e Claudio Gora. 

Um incidente de 2010 mostra o prestígio do executivo. Na época, a Locaweb patrocinava o São Paulo. Durante um clássico contra o Corinthians, Glikas, que é corintiano, perdeu a linha no Twitter e fez algumas provocações contra o rival.

A torcida são paulina fez campanha, uma das primeiras ondas de indignação do tipo na Internet brasileira, e Glikas acabou pedindo demissão. Dois anos depois, ele estava de volta na Locaweb, inclusive com um cargo melhor.

Em março do ano passado, a companhia anunciou um novo CEO: Fernando Cirne, ex-diretor da Locaweb Serviços de Internet, o braço de varejo da empresa.

O novo CEO foi contratado em 2012 para liderar o marketing, vindo de uma carreira feita na Abril Mídia, onde foi diretor de E-Business, entre outras posições.

É um momento de mudanças na Locaweb, que, de acordo com o Valor Econômico noticiou em outubro, está preparando uma oferta de ações.

Nos últimos anos a Locaweb tem investido na ampliação de seu portfólio para reduzir a dependência do negócio de hospedagem de sites, mercado no qual foi uma das pioneiras no país, ainda no final dos anos 90.

Ferramentas de comércio eletrônico e ofertas no modelo de assinatura (SaaS) representam hoje 61% das vendas. Em 2018, a receita bruta foi de R$ 371 milhões. Para 2019, a expectativa é atingir R$ 450 milhões. 

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ficou em R$ 83 milhões ano passado e a expectativa é avançar para R$ 105 milhões em 2019.