Baguete
InícioNotícias> Chipus capta R$ 6,5 milhões

Tamanho da fonte:-A+A

IOT

Chipus capta R$ 6,5 milhões

Júlia Merker
// terça, 05/12/2017 15:45

A Chipus Microeletrônica, especializada no desenvolvimento de projetos de chips de baixo consumo energético, anunciou o recebimento de uma nova capitalização de R$ 6,5 milhões, incluindo um round de investimento liderado pelo Fundo Criatec II, cujo principal cotista é o Banco Nacional de Desenvolvimento Social e Econômico (BNDES). 

Paulo Augusto dal Fabbro, CTO da Chipus, e Carlos Augusto Carneiro, do BNDES. Foto: José Somensi.

Essa é a segunda vez que a Chipus é investida pelo fundo; a primeira foi em abril de 2016. 

Com os valores angariados até o momento, a empresa concebeu a plataforma ICX - Gen 1 para aceleração do desenvolvimento de circuitos integrados com foco em alguns casos de uso para internet das coisas (IoT), inteiramente financiável pelo BNDES. 

O anúncio do novo aporte e do lançamento da plataforma ocorreu durante o ChipCon’17, evento realizado no dia 30 de novembro em Florianópolis.

Para que eletrodomésticos e produtos eletrônicos em geral com base em IoT possam funcionar, são necessários circuitos integrados. Antecipando a necessidade em atualizar e produzir esse tipo de componente, a Chipus anunciou o lançamento da plataforma ICX Gen 1 visando aplicações que endereçam o uso em IoT e Indústria 4.0. 

A empresa promete que chips poderão ser desenvolvidos com redução de até 50% do tempo anteriormente gasto para produzir esses circuitos integrados. 

“O objetivo é diminuir o número de componentes eletrônicos em um produto, onde antes tinham de dois a três circuitos integrados e alguns componentes discretos integráveis, agora pode haver um único chip customizado para aquela aplicação, em um prazo de tempo menor, com menor risco e com condições muito mais favoráveis para nossos clientes financiarem o desenvolvimento", declara Murilo Pessatti, CEO da Chipus Microeletrônica.

A Plataforma ICX Gen1 está em fase final de desenvolvimento. O roadmap inclui mais duas gerações, que vão endereçar casos de uso mais complexos de IoT, Indústria 4.0 e outros produtos eletrônicos.

Júlia Merker