Foto: divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

A Anglo American, conglomerado britânico que atua no ramo da mineração, quer investir R$ 25 milhões em projetos de inovação no Brasil até 2026.

A companhia pretende apostar principalmente em pesquisa, desenvolvimento e execução de projetos de mineração com a participação ativa em hubs, como o Mining Hub e o Fiemg Lab, voltado à indústria em geral.

Anteriormente, a Anglo American trabalhou em conjunto com a startup brasileira Konker Labs, selecionada no Mining Hub, para realizar a medição da pilha de pulmão, uma espécie de estoque utilizado no ramo.

Segundo Felipe Starling, gerente executivo de inovação da britânica, toda a condução do desafio foi feita por novas metodologias.

“A solução foi construída no Mining Hub, ambiente que tornou possível encontrar uma startup para desenvolver essa solução, fortalecendo a cultura de inovação dentro da empresa”, observa Starling.

A solução é replicável para qualquer mineradora que deseja fazer a medição da massa de alguma pilha de minério. 

A Anglo American é uma das maiores do mundo na área de exploração mineral. Fundada em 1917, está ligada à exploração de minas na África do Sul.

Com sede em Londres, o Grupo Anglo American possui cerca de 87 mil empregados no mundo e instalou-se no Brasil em 1973.

Atualmente, possui uma planta de níquel em Niquelândia, no estado de Goiás, que começou a ser construída em 1979 e entrou em operação em agosto de 1982. A unidade produz cerca de 10 mil toneladas anuais de níquel contido.

Em agosto de 2008, a Anglo American criou a Anglo Ferrous Brazil, formada a partir da aquisição do Projeto Minas-Rio, extração, beneficiamento e transporte de minério de ferro, com capacidade de produção de 26,5 milhões de toneladas por ano.