Sanjay Mirchandan.

A Commvault, um player tradicional no mercado de backup e gerenciamento de dados, injetou sangue novo no comando, visando se reposicionar no mercado.

O comando agora é de Sanjay Mirchandani, ex-CEO da Puppet, uma empresa americana de software de automação de TI. 

O executivo substitui Bob Hammer, um profissional da velha guarda no comando da Commvault há 20 anos e no mercado de TI há outras tantas décadas.

Grandes mudanças na Commvault, eram previsíveis desde o ano passado, com a entrada no capital da empresa do fundo Eliott Management, um acontecimento que costuma prenunciar mudanças em companhias da área de tecnologia.

O Elliott é conhecido como fundo ativista, que compra participações minoritárias em companhias que acredita estarem com resultados abaixo do possível para começar a pedir mudanças de estratégia que façam as ações subir.

Na época, o Eliott Management chegou chegando, com uma cara na qual disse aos demais acionistas que a Commvault tinha margem de lucro e metas de finaceiras abaixo do possível, além de "problemas de execução" e "governança corporativa atrasada".

A carta destacava ainda que CA, NetApp, Oracle e Symantec, concorrentes da Commvault, tem uma performance melhor quase o tempo todo nos últimos cinco anos, apesar de terem o mesmo crescimento baixo e enfrentarem as mesmas condições econômicas.

O diagnóstico apontava ainda problemas como licenciamento complexo, cotas de vendas não realistas e alto turn over de empregados.

A posição da Commvault é complicada adicionalmente pelo fato de enfrentar ao mesmo tempo concorrentes estabelecidos de grande porte e startups como a Kubrik, sendo uma empresa de porte médio para os padrões americanos, com faturamento abaixo de US$ 1 bilhão.

A receita para melhorar a situação seria uma mudança organizacional com novos executivos junto com uma simplificação das posições gerenciais, junto com o estabelecimento de um novo go to market.

A Commvault aceitou parte do diagnóstico, simplificando o porfólio de produtos e trazendo alguns executivos de fora, processo que culmina agora com a chegada de um novo CEO.

Mirchandani já assumiu cargos de liderança sênior na VMware, EMC e Microsoft.

Pode ser só o começo. Um histórico feito pela Reuters no começo de 2017 mostrou que em 15 empresas nas quais o Eliott comprou mais de 5% de participação desde 2015 acabaram fechando negócios de vendas ou fusões totalizando mais de US$ 40 bilhões, nos quais o fundo teve um retorno de 30%.

Nos últimos anos a companhia fez movimentações parecidas sobre a Riverbed (comprada por outro fundo no final de 2014), Brocade (partes vendidas para a Extreme em 2017) e Symantec (fusão com a BlueCoat).