KPMG

TI e estrangeiros lideram em F&A no Brasil

06/07/2012 13:59

Tamanho da fonte: -A+A

A TI liderou, como vem acontecendo desde 2008, a mais recente lista de fusões e aquisições no país, realizada pela KPMG.

O estudo que revela os números do primeiro semestre deste ano mostra que foram transacionadas 433 operações deste tipo entre empresas brasileiras, 54 a mais do que em igual período de 2011, ou variação de 14,2%.

Na TI, foram realizados 50 destes negócios.

Em seguida, vêm o setor de prestadores de serviços, com 32 transações; e empresas de Internet (ou ponto.com), com 28.

Alimentos, bebidas e fumo surge na quarta posição, com 25, seguido por mídia e telecomunicações, com 21, energia, 20, e químico e farmacêuticas, shopping centers e imobiliárias, com 17 negócios cada.

O estudo também mostra um crescimento da participação de estrangeiros em fusões e aquisições de empresas brasileiras.

Do total de operações, 225 envolveram companhias do exterior na ponta compradora, enquanto que as nacionais somaram 183 negócios.

“O apetite dos estrangeiros comprando empresas no Brasil foi maior do que o dos próprios brasileiros neste primeiro semestre, situação que nunca havíamos visto até então”, afirma Luis Motta, sócio da área de F&A da KPMG no Brasil e responsável pela pesquisa.

Segundo ele, a participação estrangeira ganhou força inclusive em setores em que a presença brasileira foi tradicionalmente majoritária, como a TI.

“Dos 50 negócios deste segmento, 31 envolveram empresas estrangeiras na ponta compradora”, comenta.

Dentre os compradores do exterior, os norte-americanos estão na ponta.

Conforme a pesquisa, os Estados Unidos surgem disparados como principal país de origem das empresas estrangeiras que participaram de fusões e aquisições com brasileiras no primeiro semestre, totalizando 104 transações.

A seguir, mas bem distantes, vêm Reino Unido (com 18 negócios), Alemanha (17), França (14), Canadá (11), Espanha e Japão (ambos com 10).

A atual edição da Pesquisa de Fusões e Aquisições da KPMG no Brasil considera as operações de fusões e aquisições anunciadas e concluídas entre 1° de janeiro e 30 de junho de 2012.

O levantamento é realizado sistematicamente desde 1994.
 

Veja também

GANGORRA
Depois de queda, fusões em TI crescem

Ernst & Young Terco, e aponta que foram realizados 3.006 negócios no ano passado, 13% a mais do que os 2.658 de 2010

TI lidera fusões no RS, diz KPMG

A TI liderou as operações de fusão e aquisição no Rio Grande do Sul no ano passado.

Foram 13 operações da área de TI – sendo sete empresas com sede no Rio Grande do Sul e seis entre as companhias com presença no mercado gaúcho, mas sede fora do estado.

No geral, o total de empresas com sede no Estado foi de 26 – queda de 10,3% ante o observado em 2010 (com 29 transações).

Fusões e aquisições caem 22,7%

As fusões e aquisições anunciadas em 2011 somaram R$ 142,8 bilhões, número 22,7% inferior ao do mesmo período do ano passado, que totalizou R$ 184,8 bilhões, mas representou o segundo melhor resultado anual desde 2006.

Fusões caem no Brasil, diz E&Y Terco

O número de fusões e aquisições no Brasil registrou queda no quarto trimestre de 2011, ficando 16% abaixo do que no mesmo período de 2010, segundo dados da Ernst & Young Terco.

Conforme a consultoria, foi o segundo trimestre consecutivo de queda no setor: no 3T11, o volume destes negócios no país havia tido queda anual de 14%.

Cade: mudanças para facilitar fusões

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) analisa a possibilidade de criar até três novos formulários para prestação de informações por parte de empresas em processos fusão e aquisição.

TI: US$ 56,4 bi em fusões no 3T11, diz E&Y

A crise da Europa e o rebaixamento do rating dos EUA afetou fusões e aquisições em várias áreas, mas não na TI: no setor, estas operações cresceram 8%, sequencialmente, no terceiro trimestre de 2011, movimentando US$ 56,4 bilhões.

A avaliação é da Ernst & Young, no relatório trimestral “Global Technology M&A Update”.

TI é o setor que gera mais fusões e aquisições

Levantamento da KPMG indica que o setor de Tecnologia da Informação foi o que realizou o maior número de transações no primeiro semestre de 2011 no Brasil.

Foram 46 operações somente neste mercado (uma além do resultado anotado nos primeiros seis meses de 2010), sendo que 20 delas envolveram empresas de capital nacional.

Valor das fusões em TI dobra

O volume movimentado em operações de fusão e aquisição no setor de tecnologia mais que dobrou no primeiro trimestre de 2011, ao passar de US$ 12,1 bilhões para US$ 27 bilhões em um ano.

Os valores indicam um aumento no valor médio dos negócios, já que o número total de operações saltou 21% para 794.

As informações são de um estudo da Ernst & Young divulgado pelo Valor Econômico nesta quarta-feira, 08.