Governo lança concurso para desenvolvimento de apps. Foto: Getty Images.

O Governo Federal publicou nesta terça-feira, 05, edital para lançar o regulamento do Concurso de Aplicativos e Jogos Eletrônicos InovApps, que selecionará 50 projetos inéditos e originais de aplicativos, com prêmios totalizando R$ 4,5 milhões.

O programa, além dos apps também contemplará jogos digitais de interesse públicos - chamados "serious games", com conteúdo ligado a educação e saúde, por exemplo. A informação é do IP News.

Os projetos de apps e games podem ser destinados a dispositivos móveis e smart TVs, compatíveis com as plataformas Android, Blackberry, HTML5, Middleware Ginga e Windows Phone.

As propostas devem se enquadrar em um dos nove temas: Direitos e defesa do consumidor; Educação / Ensino; Saúde; Mobilidade Urbana; Segurança Pública; Turismo e Grandes Eventos; Gestão colaborativa de utilidade pública; Tratamento de indicadores de políticas públicas (dados abertos); Difusão de campanhas de utilidade pública.

Poderão se increver para o InovApps pessoas físicas e empresas do ramo estabelecidas no Brasil. O prazo vai até o dia 19 de setembro e a divulgação dos vencedores sairá no dia 14 de novembro.

O InovApps é uma iniciativa do governo com o Centro de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CDT) da Universidade de Brasília, integrando a Política Nacional de Conteúdos Digitais Criativos, projeto do Ministério das Comunicações para fomentar o setor tecnológico.

Com o programa, o plano é apoiar pequenas, médias e grandes empresas do setor, promovendo a integração do audiovisual com os setores relacionados a tecnologias, assim como difusão de plataformas digitais de distribuição de conteúdos.

Os apps submetidos ficarão durante dois anos sob propriedade do MiniCom, que terá a autorização para distribui-los gratuitamente. Além disso, durante este período os desenvolvedores serão obrigados a lançar ao MiniCom as atualizações da versão gratuita.

Entretanto, mesmo com as obrigações com o governo, as empresas selecionadas poderão lançar em paralelo versões mais completas de seus apps em plataformas comerciais.