MULTIDÃO

Brasscom quer formar devs web em massa

06/08/2021 14:02

Meta é atingir nada menos do que 156 mil alunos. Projeto está na fase inicial.

Brasscom quer uma multidão de desenvolvedores web. Foto: Pexels.

Tamanho da fonte: -A+A

A Brasscom, entidade que reúne as maiores empresas de TI atuantes no país, lançou um programa para treinar 156 mil desenvolvedores web, no que deve ser a iniciativa de formação de mão de obra mais ambiciosa já feita no país.

Ainda neste mês de agosto, serão selecionadas duas instituições de ensino e duas ONGs ou EduTechs para fazer parte da edição piloto, que contará com 100 alunos, divididos em quatro turmas, em diferentes regiões do país. 

A Brasscom custeará integralmente essa etapa do projeto, com um investimento de R$ 278 mil. 

O curso é gratuito para os alunos, que ganharão ainda um valor não revelado para cobrir gastos mensais com internet, deslocamento e alimentação e mais R$ 100 em caso de conclusão do curso.

A formação deve durar três meses, com uma carga horária total de 264 horas, em formato híbrido, com aulas presenciais e a distância incluindo temas como HTML, CSS e Java Script.

A Brasscom espera fazer os ajustes necessários, lançar o programa em grande escala e atingir a meta dos 156 mil até 2024.

A entidade não comenta qual é o investimento total previsto. Mas, tendo em conta que o piloto para 100 alunos vai custar R$ 278 mil, estamos falando de um investimento na casa das dezenas de milhões de reais, tendo em conta que o custo deve cair com a escala.

Só o custo de pagar R$ 100 para 156 mil pessoas, no qual a escala não influi, seria de R$ 15,6 milhões.

A entidade destaca que “buscará parcerias estratégicas com fontes de financiamento públicas e privadas”, ainda que o mais provável parece ser que as empresas associadas paguem a maior parte da conta.

Nesse caso, é possível dizer que a Brasscom decidiu tomar nas próprias mãos a solução de um problema que vem sendo apontado pela entidade desde a sua fundação, em 2004, inspirada pela poderosa entidade indiana Nasscom.

Segundo estudo da própria Brasscom, 420 mil novos trabalhadores seriam demandados pelo setor entre 2019 e 2024. Em uma média simples, anualmente, o mercado precisa de 70 mil profissionais. Hoje, no entanto, apenas 46 mil pessoas são formadas com perfil tecnológico a cada ano.

“Equalizar essa diferença é essencial para que as empresas de tecnologia continuem crescendo, gerando empregos formais e de qualidade e contribuindo para acelerar a retomada da economia”, ressalta o presidente do Conselho de Administração da Brasscom, Laércio Cosentino. 

Dinheiro para bancar uma iniciativa desse escopo a Brasscom tem. Além da Totvs, empresa fundada por Cosentino que acaba de faturar R$ 763,3 milhões no segundo trimestre, a entidade reúne 90 empresas, em diferentes níveis de associação.

Entre os fundadores estão os pesos pesados da TI brasileira, como Totvs, BRQ e Tivit, além de multinacionais com presença forte no país como Capgemini, IBM e Accenture. No segundo tier, vem nomes como Embratel, Sonda, Cisco e Huawei. 

Veja também

VAGAS
XP forma 300 com Trybe

Corretora está oferecendo curso de desenvolvimento de software para contratar profissionais.

VITÓRIAS
Setor de TI leva folha e ICMS

Congresso mantém a desoneração da folha de pagamentos e Supremo derruba ICMS.

TRABALHO
TST decide contra pejotização

Decisão sobre funcionário da Rede TV pode ter grande impacto futuro no setor de TI.

TRABALHISTA
Cade investiga formação de cartel entre RHs

Empresas teriam trocado informações sensíveis, como remunerações e reajustes salariais.

ATITUDE
Empresas gaúchas têm iniciativa de formação

+praTI reúne 25 empresas para oferecer cursos de formação em Java.

SELEÇÃO
Ambev Tech busca líderes mulheres

Primeira edição do programa Mulher.Ada está com inscrições abertas até 6 de agosto.