Dell apresentou um PC conceito.

Como um dos nomes mais representativos do mercado de PCs, a Dell fez questão de apresentar suas novidades para o segmentos de workstations, área em que concorrentes como a HP também lutam para chamar a atenção.

Cerca de uma semana depois do lançamento do HP Sprout PC, computador com duas superfícies de toque (tela e pad inteligente), a companhia de Michael Dell apresentou em Austin o Smart Desk, PC-conceito que usa um monitor LCD em conjunto com um display de toque.

A Dell não deu maiores detalhes sobre quando a tecnologia deve chegar ao mercado ou preços que ela deve ter. A HP já divulgou o preço de US$ 1.899 no mercado americano, além de um SDK para empresas interessadas em criar aplicações.

Com as fabricantes de PCs lutando para recuperar a relevância do produto, tudo indica que a novidade da Dell deve chegar ao mercado em breve.

Não está muito claro que casos de uso esse tipo de equipamento pode ter. No seu lançamento, a HP enfatizou funcionalidades de edição de imagem.

A Dell seguiu um caminho similar, destacando que o uso do pad horizontal permite usuários a manipular conteúdos digitais de forma otimizada, navegando entre páginas e telas com o uso de gestos intuitivos.

Além disso, conforme aponta a companhia, o conceito das smart desks também contempla o compartilhamento de tarefas, usando a mesma interface simplificada para o compartilhamento de tarefas e telas.

"Este desktop digital permite que múltiplos smart desks sejam clusterizados para projetos específicos, notas que podem ser localizadas e compartilhadas, com melhor organização e escala", destacou a companhia em nota.

Entretanto, mesmo com a conversa futurista, a empresa não deu maiores detalhes sobre como ela pretende levar adiante o conceito, ou como ela deve se comunicar com outras tecnologias e infraestruturas, como sua sincronização com nuvem e outros dispositivos.

A coisa está feia no mercado de PCs convencionais. As vendas mundiais caíram 10,9% no segundo trimestre desde ano, marcando o quinto trimestre consecutivo de queda segundo dados do Gartner. 

A tendência é mundial, mesmo países nos quais as vendas ainda subiam, como o Brasil, agora estão em queda.

Dentro desse cenário, a Dell é uma das empresas que está menos mal. Sua queda foi de 3,9%, a menor só atrás da chinesa Lenovo, com 0,6%. A HP caiu 4,8%. Fabricantes asiáticos que não se cacifaram como a Lenovo levaram a maior pancada, com quedas de 35% na Acer e 20% na ASUS.

Embora os anúncios da HP e Dell sejam um indicativo interessante dos caminhos em que as empresas de desktops estão levando seus produtos, analistas apontam que não eles não podem ser chamados ainda de a salvação da lavoura, uma vez que não há uma demanda de mercado por estas novidades.

Segundo eles, é interessante ver como as companhias estão investindo em novas formas e maneiras de abordar os usos do PC em diferentes ambientes de trabalho, atacando nichos específicos. 

Assim como o Sprout, o smart desk pode ter um futuro em segmentos como o de design, CAD, edição de vídeos e outras aplicações de manipulação visual e de precisão.

Globalmente, a Dell ocupa o segundo lugar no market share de PCs corporativos, com 30% de share, segundo dados da consultoria JPR no segundo trimestre de 2014. A HP vem em primeiro com 40%, e em terceiro vem a  Lenovo (14%). No geral, a Apple fica em meio a outras marcas que compõem 13% do share.

* Leandro Souza viajou a Austin para o Dell World a convite da Dell.