Representantes da IST e da SolidWorks durante o SolidWorks World.

A paulista IST Sistemas é a maior revenda da SolidWorks na América Latina.

O destaque foi entregue durante o SolidWorks World, evento mundial da empresa de CAD que aconteceu nos Estados Unidos em janeiro. 

A IST foi também a revenda que mais vendeu os produtos SolidWorks Composer, Electrical, contratos de manutenção de licenças multi-produtos.

Com o resultado, a IST superou a gaúcha SKA, que antes ocupava a posição de maior entre as sete revendas da SolidWorks no país.

“Poder atuar em novas frentes abriu os horizontes da IST e nos proporcionou a visão de um crescimento orgânico acelerado”, comemora Álvaro Marzola, diretor da IST Sistemas.

Em março do ano passado, a IST, até então a segunda maior revenda do país, comprou a base de clientes da Max3D, outra revenda gaúcha da SolidWorks que era a terceira no ranking e hoje segue atuando representando outros softwares não ligados a CAD.

Até então, a IST atuava no Sul somente em Joinville. Com o negócio a empresa somou os escritórios da Max3D em São Leopoldo, Caxias e Curitiba aos já existentes antes em São Paulo, Americana, São José dos Campos, Ribeirão Preto, Belo Horizonte e Goiânia.

A fusão dos canais foi autorizada pela SolidWorks um ano após a multinacional autorizar a entrada da SKA no mercado de São Paulo para atender a Romi, a maior base instalada do software de CAD no estado.

Até então, a SKA estava limitada ao Sul, tendo presença em  São Leopoldo, Caxias do Sul, Joinville e Curitiba.

Não foram as primeiras fusões entre canais da SolidWorks.  As mineiras AcessoCom e SixCAD, uniram operações como SixCom. A própria IST já havia comprado a carteira da SolidMinas em 2011. 

Tanto a SKA como a IST atuam com uma carteira mais ampla que as soluções da SolidWorks, incluindo também outras soluções de CAM, CAE e softwares específicos para a área de manufatura, e, no caso da SKA, impressoras 3D da Stratasys.

A SKA, empresa de soluções para manufatura sediada em São Leopoldo, fechou 2013 com um faturamento de R$ 32 milhões, alta de 28% frente aos números do ano anterior. A meta é fechar aos R$ 50 milhões de faturamento até 2015, o que significaria dobrar obtido em 2012.

A IST não abre números de receita.