A Latam vai passar a cobrar R$ 50 para despachar a bagagem em voos nacionais. Foto: Divulgação.

A partir do dia 14 de março, a Latam alterará suas regras de bagagem com relação à franquia permitida por passageiro e à cobrança do excesso. Após um período gratuito de promoção, a empresa vai passar a cobrar R$ 50 para despachar a bagagem em voos nacionais.

“A experiência internacional mostra que os preços das passagens caíram e mais pessoas passaram a usar o transporte aéreo onde a bagagem despachada é cobrada a parte. Com isso, a Latam e suas filiais projetam reduzir em até 20% as tarifas mais baratas dos voos domésticos até 2020”, afirma Cláudia Sender, CEO da Latam Airlines Brasil.

No primeiro momento, o despacho da primeira bagagem de 23 kg ainda será gratuito e a cobrança será apenas sobre o excesso. 

“Queremos dar tempo ao cliente para que se acostume com nossos novos procedimentos antes de iniciar a cobrança da primeira mala em voos domésticos”, comenta Adriana Gomes, diretora de marketing da Latam.

Ainda este ano, a empresa iniciará a cobrança também da primeira mala em voos domésticos, que será de R$ 50. Para a segunda mala, o valor fica em R$ 80.

Para viagens realizadas a partir de 14 de março, há aumento no peso da bagagem permitida a bordo das aeronaves em todos os voos, passando de 5kg para 10 kg por passageiro. As regras relacionadas às dimensões da bagagem de mão seguem inalteradas: no máximo 55 cm x 35 cm x 25 cm (altura x largura x espessura).

Nos primeiros meses, os clientes que emitirem bilhetes a partir do dia 14 de março terão direito a despachar um volume de até 23 kg em voos dentro do Brasil e na América do Sul. 

Para os demais voos internacionais, clientes poderão despachar até dois volumes de 23 kg cada. 

Já há alteração no pagamento do excedente de bagagem a partir do dia 14 de março, seja pelo call center, site ou pessoalmente no aeroporto. A cobrança será feita por meio de taxas fixas por peça, por faixa de peso ou por tamanho excedente.

Outras mudanças devem chegar na cobrança de passagens da Latam. A empresa pretende cobrar de forma separada por serviços como reserva de assentos, lanche a bordo, possibilidade de reagendamento e registro de pontos do programa de fidelidade.