Vivo lucra menos no 1T13. Foto: divulgação.

A Telefônica Brasil anunciou nesta terça-feira, 07, os resultados financeiros no primeiro trimestre do ano, anotando uma queda de 15,3% em seu lucro líquido, um resultado abaixo do esperado pelo mercado.

O lucro ficou em R$ 810,2 milhões, enquanto que no mesmo período no ano passado ele foi de R$ 956,5 milhões. No trimestre final de 2012, o lucro foi de R$ 1,474 bilhão.

A empresa se manteve com uma base de clientes estável nos três primeiros meses do ano (28,7% do market share), mas segundo analistas, registrou despesas com reestruturações e lançamentos de novas ofertas, como o MultiVivo e a sua operação 4G.

Na receita líquida, entretanto, a companhia teve um crescimento de 2,9% no período, ficando em R$ 8,5 bilhões. Os custos operacionais tiveram um aumento de 6,3%, contabilizados em R$ 5,8 bilhões.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Telefônica teve queda de 3,5%, fechando em R$ 2,74 bilhões, com a margem passando de 34,2 para 32,1 por cento.

De acordo com analistas da Reuters, a estimativa era de que a companhia ficasse com um lucro líquido de R$ 926 milhões, com Ebitda de 2,85 bilhões de reais.

Segundo a Telefônica Brasil, o recuo no Ebitda foi afetado por uma reestruturação organizacional realizada no trimestre que gerou despesas de R$ 89,8 milhões, e no primeiro trimestre de 2012, a empresa teve um ganho de R$ 216,5 milhões devido à venda de torres.

LINHAS E INVESTIMENTOS

Na parte operacional, a Telefônica fechou o período com 90,86 milhões de acessos, sutil aumento de 0,9% sobre a base de linhas do primeiro trimestre de 2012. No entanto, em relação ao trimestre final de 2012, houve um recuo de 0,3%.

Do total de linhas, cerca de 76 milhões correspondem a acessos móveis, evolução anual de 1,6 por cento e 14,87 milhões a linhas fixas, queda de 2,5 por cento. A renda média por usuário subiu 3,4%, ficando em R$ 23, impulsionado por serviços de dados.

Na TV por assinatura, a base de usuários teve um decréscimo de 17,2%, ficando em 566 mil. A explicação da operadora para o recuo foi a redução de clientes em MMDS devido à ocupação do espectro por operadores 4G.

O número de acessos de banda larga fixa subiu 1,8 por cento, para 3,753 milhões. Na parte de investimentos, a Telefônica gastou 39% menos, registrando R$ 708 milhões no primeiro trimestre.