EMPREENDEDORISMO

FISL: mais foco em startups

07/05/2014 11:51

Objetivo é fomentar o desenvolvimento de empreendimentos e ideias criativas.

Gisele de Oliveira. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Fórum Internacional Software Livre (FISL) turbinou a programação disponível para startups no evento, com mais programação focada, mais aceleradoras presentes e um acordo com o DataPoa, iniciativa de abertura de dados da prefeitura de Porto Alegre.

No ano passado, o primeiro da iniciativa, 30 empreendedores fizeram apresentações rápidas para representantes das aceleradoras gaúchas WOW e Ventiur.net, além da associação de investidores anjo nacional Anjos do Brasil.

Para a segunda edição, rebatizada InvestForum, confirmaram presença os participantes da primeira e mais a aceleradora gaúcha Estarte.me, as cariocas Pipa e 21212 e a ONG de fomento ao empreendedorismo Endeavor. Serão feitas 20 apresentações.

“Decidimos diminuir e investir mais na participação e aumentar o investimento na qualificação das propostas”, explica Gisele de Oliveira, responsável pela organização do InvestForum. Diretora da Engenho Informática, um canal Senior gaúcho, Gisele foi presidente do Seprorgs e é um nome conhecido no meio empresarial.

De acordo com Gisele, nenhuma das apresentações do ano passado evoluiu para um investimento, o que não é lá muito desanimador, sabendo que a taxa de seleção das aceleradoras é baixa e que é comum serem analisados 100 projetos para investir em 1.

De qualquer maneira, a organização do FISL optou por chamar nomes de mercado para fazer palestras de preparação [elas são abertas ao público], incluindo o diretor da Dinamize, Jonatas Abott, para falar sobre marketing; o conhecido consultor de internacionalização de empresas Roberto Janssen, para falar sobre pitchs e Rafael Chanin, organizador da Failcon, para explicar a importância de seguir tentando.

Foi mantido o requisito de que os projetos apresentados devem ser obrigatóriamente de tecnologias open source.

Gisele destaca que o Fisl reconhece as dificuldades do que chama um “trabalho pioneiro”, de tentar colocar o mundo do software livre na dinâmica dos investidores, que geralmente procuram produtos de alta escalabilidade e rentabilidade para investir, o que não é “um encaixe automático” para propostas baseadas em código aberto.

Para tentar fomentar um modelo de negócios viável para empreendimentos open source, a empresária destaca a aproximação com o DataPoa, iniciativa de dados abertos da capital gaúcha, para facilitar o acesso das startups às informações e gerar empreendimentos viáveis com elas na próxima edição do FISL.

A iniciativa também é apoiada pelo Porto Alegre Cite, organização informal de empreededores de startups, academia e empresas focadas em promover um salto tecnológico para a capital gaúcha.

“Queremos que essas empresas tenham as mesmas facildades que multinacionais como Google e Moovit, que recentemente criaram aplicações baseadas nessas informações”, resume Gisele.

A gestora destaca que a ideia para o próximo ano é que os projetos apresentados contribuam com melhorias efetivas para a cidade e sejam facilmente replicáveis em outros lugares, uma missão para qual o desenvolvimento open source parece especialmente bem adaptada para cumprir.

"A ideia é dar um passo além dos famosos 'desafios' onde o pessoal geralmente vem com propostas teóricas, festejadas e que nunca são postas em prática", propõe Gisele.

Veja também

FISL
Um reset na indústria de games

Consolidada em gigantes como Nintendo e Sony durante os anos 90, a indústria agora está voltando às mãos de desenvolvedores independentes, que podem desenvolver jogos em uma garagem, com baixo custo e possibilidade de sucesso mundial.

XX XY
Porque TI é o Clube do Bolinha?

Não há mais mulheres em TI porque os homens tem mais habilidade para exatas ou a suposta habilidade para exatas dos homens cria um estereótipo que afasta as mulheres?

RMS
Sorria, você está sendo (muito) vigiado

Para RMS, pessoas deveriam desistir de usar smartphones, redes sociais e computação em nuvem para proteger sua privacidade.

OPEN SOFTWARE
Como viver de algo que é de graça?

Discussão entre os adeptos dos softwares de código aberto tem ganho cada vez mais espaço no Fisl.

REFORÇO
Meffe, ex-SLTI, está no Serpro

Responsável pela organização do Portal do Software Público, ele reforça Serpro no mercado de prefeituras.

SÓ PARA CONVIDADOS
Happy Hour de seleção do Facebook

Evento de recrutamento acontecerá em Porto Alegre na semana do FISL e reunirá cerca de 30 pessoas.