IPO

Zenvia vai buscar US$ 213 milhões na Nasdaq

07/05/2021 13:20

Processo para abrir capital na bolsa de valores americana segue andando.

Cassio Bobsin, CEO da Zenvia.

Tamanho da fonte: -A+A

A Zenvia, companhia de plataforma de comunicação e serviços móveis, quer captar US$ 213 milhões com a sua abertura de capital na Nasdaq, bolsa de valores americana especializada em tecnologia.

Nesta semana, a companhia sediada em Porto Alegre enviou para a SEC, o órgão regulador da bolsa americana, a faixa de preço para as suas ações. Pelo dólar de hoje, a pedida equivale a R$ 1,11 bilhão.

A Zenvia espera que elas sejam vendidas entre US$ 15,50 e US$ 17,50. Se o interesse dos compradores ficar no meio, isso significa que uma avaliação de mercado para a empresa de US$ 607 milhões, colocando a Zenvia no rumo para ser um unicórnio.

É um salto de capitalização significativo para a Zenvia, que até agora obteve US$ 130 milhões junto a fundos como o Oria.

Os investidores americanos estão começando a analisar a empresa. 

“A Zenvia cresceu durante a pandemia, mas está exposta a riscos de desvalorização da moeda e concentração da carteira de clientes”, escreveu um analista no site Seeking Alpha, uma referência em investimentos. "Comparada com a líder de mercado Qualitrics, a Zenvia parace estar com um valor razoável, uma vez que cresce tão rápido quanto e produzindo muito menos em perdas que a Qualitrics", agrega o texto.

Os problemas cambiais e de concentração de clientes foram reconhecidos pela própria Zenvia, em um documento enviado para a SEC em abril que abriu o processo do IPO.

No texto, a Zenvia revelou que tem cerca de um terço da sua receita em seus dez maiores clientes, além de grande concentração de faturamento no negócio de SMS, no qual a empresa surgiu no começo dos anos 2000 e acabou assumindo a liderança no país.

Na documentação apresentada à SEC, a Zenvia estimou que o mercado potencial na América Latina para a sua área de atuação é de US$ 4,1 bilhões em 2024, o que representa um crescimento médio anual de 15,4% a partir de 2020.

A empresa informou ainda que registrou um faturamento consolidado de R$ 492,5 milhões em 2020, o que inclui as receitas de suas recentes incorporações: R$ 26,5 milhões da D1; R$ 27,8 milhões da Smarkio; e R$ 8,4 milhões da Sirena. O resultado consolidado no ano passado foi de um prejuízo de R$ 71,6 milhões.

Ao fim do ano passado, a Zenvia contabilizava 9,4 mil clientes. Houve um aumento líquido de 1,7 mil clientes em 12 meses. 

De acordo com a empresa, estão entre os seus clientes no Brasil: cinco dos dez maiores bancos; seis das dez maiores companhias de saúde; quatro das cinco maiores operadoras de telecomunicações; cinco das dez maiores seguradoras; e cinco dos dez maiores grupos educacionais.

No texto, que serve para orientar potenciais investidores, a Zenvia promete seguir fazendo compras em toda a América Latina visando  agregar novas soluções, ferramentas e canais de mensageria à sua plataforma. Ela dá como exemplos o desenvolvimento de funcionalidades de comércio e de pagamentos.

Quem revelou a intenção da Zenvia de abrir capital cavando os papéis no site da SEC foi o site Mobile Time, especializado no mercado de mobilidade. A Zenvia optou por ser discreta sobre um passo histórico para a empresa, não fazendo nenhuma divulgação oficial da decisão até agora.

Mas a empresa fez uma mudança recente que provavelmente está relacionada com a decisão de abrir na Nasdaq.

A Zenvia anunciou um novo logotipo e posicionamento, alinhada ao "lifestyle" da empresa e à história de vida e valores do fundador, Cassio Bobsin, o tipo de coisa que ajuda a convencer investidores.

O slogan é  “By Humanz for Humans”, em que os Humanz são todas as pessoas que trabalham na empresa, dentro da uma moda recente de marketing (o trocadilho é Humans com Z de Zenvia).

"É uma atitude, um novo momento. Acreditamos que as comunicações precisam ser experiências, e que nossa relação com o mundo à nossa volta deve ser viabilizada pela tecnologia, mas melhorada com o nosso próprio e genuíno toque humano", afirma Bobsin.

Bobsin, até então adepto de um estilo mais clássico, decidiu também mudar o visual, fazendo algumas fotos de divulgação chamativas como essa que ilustra a matéria. Onde é que eu consigo comprar um óculos desses?

Veja também

PASSO
Zenvia vai abrir capital na Nasdaq

Empresa brasileira de tecnologia quer captar US$ 100 milhões na bolsa americana.

ECOSSISTEMA
Instituto Caldeira se aproxima dos parques

Iniciativa de inovação de grandes empresas assina convênio com Tecnopuc. Outros vão vir.

MENSAGENS
Zenvia une operações com D1

Contrato foi firmado nesta quinta-feira, 25. União deve ser concluída até o final do segundo trimestre.

CAMPUS
Agibank transfere sede para São Paulo

Fintech aposta em nova base em Campinas. Parte da operação segue em Porto Alegre.

BOLSA
PicPay fará IPO na Nasdaq

Há uma semana, a fintech de pagamentos bateu mais de 50 milhões de usuários.

SAÚDE
Afya compra Cliquefarma por R$ 19 milhões

Site que compara preços de medicamentos é a sexta aquisição do grupo no segmento de serviços digitais.

GIGANTE
Nubank é avaliado em US$ 25 bilhões

Após compra da Easynvest, o banco digital levantou R$ 400 milhões em rodada pré-IPO.

INFORMAÇÃO
B3 tem projeto de dados com Gartner

Bolsa brasileira realizou a primeira implementação do conceito CDO 4.0 no país.

BOLSA
Neogrid levanta R$ 486,5 milhões

Maior parte do dinheiro captado no IPO deve ser usado em fusões e aquisições.

TENDÊNCIA
B3 vai virar a Nasdaq?

Uma fila de startups se prepara para fazer IPOs na bolsa brasileira.