Joel Raymundo, diretor de TI do Banrisul, e Antônio Schuch, diretor do Google Enterprise para AL. Foto: Divulgação | Nabor Goulart

Tamanho da fonte: -A+A

O Banrisul anunciou que começou a utilizar o Google Enterprise para realizar customizações na sua comunicação. As ferramentas Hangout (videoconferência) e Plus (rede social) estão passando por testes.

Joel Raymundo, diretor de TI do banco, fez a revelação durante o Fórum TI Banrisul, na palestra de Antônio Schuch, diretor de negócios empresariais do Google para a América Latina.

A instituição financeira já utilizava o mecanismo de busca personalizado e interno da companhia americana.

De acordo com Raymundo, o novo pacote negociado conta com um número pequeno de licenças, mas que servirá para os técnicos explorarem os usos e decidirem pelo melhor aproveitamento das soluções.

“A vantagem destes serviços é que o Google tem um modelo escalonável. Conforme nossa necessidade, contratamos mais licenças”, afirma Raymundo, que não revela o valor investido na tecnologia.

O objetivo é utilizar o Hangout inclusive nas equipes de vendas, que já testam entre si o serviço de bate-papo por vídeo.

No entanto, Raymundo é enfático quanto ao uso do e-mail na nuvem. “Não temos a intenção de abrir mão do e-mail corporativo. Precisamos levar em conta a questão da privacidade e da proteção dos dados”, avalia.

O uso de soluções de e-mail na nuvem é um tema controverso na administração pública. Enquanto as prefeituras de Belo Horizonte, Osaco e Recife, além do governo de Santa Catarina, já migraram para o Google Apps, autoridades da área de TI do governo federal tem destacando que a opção contraria uma determinação legal no sentido que os dados estatais devem permanecer dentro do país.

No final do ano passado, o Serpro, anunciou uma suíte de escritório na nuvem, que seria oferecida na faixa dos R$ 60 por conta [pouco menos da metade do custo do Google Apps no varejo].

A política de dados do governo federal é um argumento de força relativa para órgãos fora da esfera de Brasília e mesmo por lá.

De acordo com uma pesquisa do Tribunal de Contas da União, com 338 órgãos federais, 90% do total não analisam riscos aos quais a informação está submetida.

No Banrisul, o Google Plus será empregado para os colaboradores realizarem uma comunicação mais interativa. “A grande vantagem é que o Google oferece aplicações que nos auxiliam e, ao mesmo tempo, facilitam o contato com o cliente que geralmente é um usuária de suas ferramentas”, aponta.

Schuch, o gaúcho que comanda o enterprise, apresentou cases e números da adoção dos serviços no Brasil e no mundo. Aproximadamente 5 milhões de companhias já recorrem às ferramentas da Google. Por dia, são cerca de 5 mil novos clientes.

Um dos exemplos apresentados foi da Infoglobo, empresa responsável por editar os jornais das Organizações Globo, em que a economia declarada pelo cliente depois da adoção do  Google Apps (Gmail, Drive, Docs e Agenda) foi de R$ 1 milhão em um ano.

No Rio Grande do Sul, organizacoes como o Grupo DASS, Noblesse e o Internacional já migraram para a ferramenta.