David de Freitas Neto, CIO da SML Brasil. Foto: Divulgação.

A Metrofile, que atua há 30 anos no mercado de guarda e digitalização de arquivos físicos, contratou a SML para um projeto de transformação digital. A Metrofile busca adaptar seu modelo de negócio ao cenário atual, em que os documentos, cada vez mais, já nascem no formato digital.

A companhia passará a atuar com BPO (Business Process Outsourcing) para prover soluções capazes de não apenas guardar os arquivos nos meios físico e eletrônico, mas também facilitar o acesso a eles pela web, automatizar processos de diversos departamentos e fornecer relatórios gerenciais periódicos.

Para o projeto, a SML Brasil utilizará as plataformas Orquestra ECM e Orquestra BPMS para realizar a transformação digital do negócio.

“Estamos promovendo nosso reposicionamento como uma empresa de soluções em gestão da informação e não somente de guarda de caixas, como foi há muito tempo. Já estávamos oferecendo soluções de formalização e análises documentais para nossos clientes e agora este processo será acelerado com o uso da tecnologia”, afirma José Guilherme Junqueira, diretor da Metrofile.

A Metrofile e a SML Brasil estão desenvolvendo em conjunto um produto direcionado à gestão de prontuários de recursos humanos, solução já oferecida pela Metrofile, que passará a contar com novos recursos e facilidades.  

De acordo com o CIO da SML Brasil, David de Freitas Neto, o principal objetivo neste primeiro momento é passar a trabalhar de maneira totalmente digital, sem que haja a necessidade de a Metrofile receber os arquivos físicos, digitalizá-los e armazená-los. 

A guarda dos arquivos físicos, portanto, passará a ser uma opção do cliente da Metrofile e não mais um pré-requisito.

“Com o documento eletrônico já disponível desde o início da operação, todo processo acontece de forma muito mais rápida e com uma grande economia logística, já que não será necessário transportar estes documentos até uma das filiais da Metrofile”, afirma Freitas Neto.  

Para José Roberto Lazari, CEO da SML Brasil, a parceria é estratégica à medida que fortalece a presença da desenvolvedora de soluções de TI no mercado de BPOs, que está passando por um processo de reinvenção diante da transformação digital. 

“Faz parte do nosso propósito sermos atores da transformação digital das empresas. E quando falamos isso é transformar o negócio, e não simplesmente digitalizar processos e documentos. Diante deste cenário, faz todo sentido nos voltarmos ao mercado de BPOs, pois entendemos que conseguimos encurtar o caminho dessa jornada”, afirma Lazari.

No ano passado, a SML realizou uma fusão com a Cryo Technologies. A união resultou numa companhia com seis milhões de operações de câmbio, que suporta mais de 25 milhões de instâncias de processos e 100 milhões de documentos, além de contar com mais de 500 mil usuários ativos.