O Porto Itapoá acaba de implementar o Next-Generation Firewall, da SonicWall. Foto: Divulgação.

O Porto Itapoá acaba de implementar o Next-Generation Firewall, da SonicWall. O projeto foi desenvolvido com apoio da Microservice.

Com mais de 670 usuários de TI e operação 24x7, o Porto de Itapuá procurou uma solução que garantisse principalmente a alta disponibilidade de serviços e uma gestão mais efetiva de controles e acessos dos colaboradores.

“O projeto foi implementado em 10 dias. Nossa equipe técnica fez toda a preparação do ambiente e as instalações. O projeto está em operação há um mês e o cliente já conseguiu mensurar redução de custos e ter mais produtividade em relação a gerenciamento de acessos”, diz Vilmar de Borba, gerente de contas da Microservice.

A empresa destaca que houve mudança nos acessos aos serviços externos, que muitas vezes o Porto de Itapoá não conseguia por causa de atualizações que o firewall antigo não conseguia interpretar. 

“Isso agravava muito nosso desempenho nas execuções de nossa operação diária, pois todos os dias a TI tinha que intervir para que a equipe pudesse executar suas atividades”, explica Marcos Roberto Wessler, analista de infraestrutura do Porto de Itapoá.

Em um mês, o novo serviço resultou em relatório de acessos, redução de consumos de internet em razão das categorizações de acessos e acessos via VPN com SSL.

“Já conseguimos apresentar para a diretoria uma redução de custos da nossa equipe em relação a suportes, automaticamente nossos usuários obtiveram mais produtividade e temos um controle maior da nossa segurança” finaliza Wessler.

O porto iniciou suas operações em junho de 2011. Com 5 anos de atuação, é hoje o sexto maior terminal brasileiro em movimentação de contêineres, de acordo com dados da ANTAq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários).

Neste ano, o Porto Itapoá também contratou a HT Solutions para um projeto de modernização da infraestrutura de TI. A empresa implantou uma solução end-to-end para ampliar o espaço de armazenamento e aprimorar do plano de contingência nos dois data centers complementares da companhia.

Com o projeto da HT, houve a instalação de dois storages 3PAR 7200, um para cada data center, interligados por fibra óptica, mais remote copy e peer persistence, que possibilitou a utilização de cluster Windows. 

Também foram instalados quatro switches 8/12c SAN BladeSystem em Enclousure C7000 legados e novas HBAs foram fornecidas para lâminas também preexistentes. 

Em 2015, o porto registrou receita líquida de R$ 243 milhões, um aumento em relação aos R$ 208 milhões conquistados no ano anterior.

A Microservice, fundada em Blumenau, trabalha com as marcas Microsoft, HP e Dell. Entre seus clientes estão nomes como Baumgarten, Costão do Santinho, Havan e Karsten.