As empresas se reuniram na prefeitura para fechar detalhes da licitação. Foto: SbM.

O parque tecnológico de Maringá já está tomando forma: recentemente, foram licitados oito terrenos para empresas que se instalarão no local.

As vencedoras foram a fábrica de software DB1, a empresa de soluções web Ingá digital, a desenvolvedor de sistemas para agroindústria Atak, a fabricante de ferramentas para gestão de software TecnoSpeed, a especialista em pagamentos digitais Getcard, a Produtec, focada em soluções de TI para a indústria do vestuário e Accion e Sabium Sistemas, duas desenvolvedoras de software de gestão.

Os terrenos somam 170 mil m², variando entre 978 m² e 10 mil m², com valores entre R$ 797 mil e R$ 6,7 milhões.

Para as empresas, a aquisição é interessante por que elas terão benefícios dentro do Programa de Desenvolvimento Econômico de Maringá (Prodem), como isenção do IPTU por 10 anos, isenção do Imposto Sobre Serviços (ISS) da obra e serviço de terraplanagem. 

Após cinco anos no mesmo local, a empresa obtém a escritura definitiva da área. A prefeitura de Maringá já demarcou o local para começar a terraplanagem e o início das obras.

As empresas que participaram da licitação preencheram documentos com dados como geração de empregos, área de atuação, porte da empresa, tipo de investimento, impacto ambiental e fiscal, cronograma, entre outros. Os dados foram analisados pela Prefeitura.

A área fica na avenida Arquiteto Nildo Ribeiro da Rocha, próximo ao Parque do Japão, um ponto conhecido de Maringá.

Além das empresas, também estará instalada no parque a Software by Maringá, associação criada em 2007 e que reúne mais de 100 empresas e startups de Maringá e região, que recebeu a doação de uma área com 4 mil m². 

O espaço da SbM permitirá a parceria do segmento de TI com a academia e com a prefeitura, além da construção de auditórios, salas de reunião, ambientes de co-working e para instalação de pequenas e médias empresas de TI, espaço para aceleração de startups, laboratórios de inovação, capacitação e novos projetos, entre outros. 

"O parque de TI é a realização de um sonho antigo do setor que pretende posicionar Maringá e região como um dos principais polos de TI do Brasil, sendo referência como um Ecossistema de Inovação", explica Luis Marcos Campos, presidente da SbM.

O faturamento esperado pelo setor de TI em Maringá para 2019 é de R$ 1 bilhão. São cinco mil trabalhadores atuando em cerca de 400 empresas ligadas ao setor. Há ainda uma média de 600 vagas de empregos disponíveis para mão-de-obra especializada com salário médio acima do mercado.