Eduardo Kunst, presidente-executivo da Artecola. Foto: divulgação.

A gaúcha Artecola anunciou planos de reestruturação de suas marcas, com o objetivo de dobrar o seu faturamento até 2015, subindo dos R$ 484 milhões de 2012 para os R$ 800 milhões.

A empresa possui três marcas em diferentes segmentos de produção: Artecola Química, que engloba as áreas de adesivos e laminados; MVC Soluções em Plástico, concentrando atividades em compósitos e plásticos de engenharia; e Arteflex, unidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Segundo matéria da revista Amanhã, com a mudança estrutural, a empresa assumiu de vez a segmentação das suas empresas, mas reforçando a unidade corporativa. Para isso, a companhia lançou sites independentes para cada uma de suas divisões.

Segundo o presidente-executivo da Artecola, Eduardo Kunst, à medida que os outros negócios foram crescendo, a emmpresa passou a correr o risco de o público confundir as marcas de uma forma geral.

“Estamos ampliando os negócios em todas as áreas. Em função disso, era oportuno fortalecer a visão dessas três empresas”, explica, ainda frisando que as divisões são colocadas sob o nome da Artecola.

Com este movimento, a empresa se reestrutura para um ambicioso projeto, que é o de praticamente dobrar o seu faturamento nos próximos três anos. A Artecola deve fechar o ano com faturamento de R$ 484 milhões, uma elevação de 20% em relação ao ano passado.

Até 2015, a empresa planeja elevar esse número para R$ 800 milhões.

Para Kunst, o plano de estruturar sua atuação em diferentes mercados ajuda a defender a Artecola dos soluços de crise da economia mundial, citando a previsão de analistas, que estimam um recuo de 3% para as indústrias de transformação em 2013.

“O nosso avanço não é em cima do crescimento da indústria”, afirma.