Luis Lamb.

Luís Lamb, secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, acaba de assumir como coordenador do Comitê de Análise de Dados, responsável por embasar as decisões do estado no combate ao coronavírus.

A atual líder do Comitê de Dados, a ex-secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão Leany Lemos assumiu a presidência do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Lamb coordena também o Comitê Científico, que reúne profissionais de áreas da ciência, saúde e tecnologia e investe em gerar e fornecer informações e dados científicos que também ajudam nas decisões do governo.

O secretário tem experiência nos dois temas. Lamb fez carreira na UFRGS, onde foi pró-reitor de Pesquisa e presidente do Instituto de Informática.

O Comitê de Dados oferece projeções de cenários e indicadores para nortear e subsidiar as ações do governo por meio de análise de projeções e estudos de caso sobre os mais diferentes setores. 

O trabalho do grupo está por trás das bandeiras do modelo de Distanciamento Controlado, pelo qual o Rio Grande do Sul avalia o status do coronavírus em diferentes regiões do estado.

O comitê também é responsável pela elaboração de estudo sobre os cenários da Covid-19, com atualização diária, a partir de três cenários (extremo, agressivo e moderado), levando em consideração a experiência de outros países e estados.

Até agora, o Rio Grande do Sul vem se saindo bem no combate ao vírus. Com 7 mil óbitos em uma população de 11,4 milhões, o estado tem uma das menores taxas do país em mortes por Covid-19 para cada grupo de 100 mil habitantes. 

A crise está longe do fim, no entanto. De acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde (SES), o estado tem uma das maiores taxas de crescimento de novos casos e de mortes do país.

Alguns especialistas dizem que o estado pode estar inclusive na fase mais difícil de combate à Covid-19 desde o começo da pandemia.

Na macrorregião metropolitana, que inclui a capital, cidades próximas e do Litoral Norte, muito visitado no verão, o índice de ocupação de UTIs chegou a 100% no final de semana.

A ocupação de leitos em UTI no estado como um todo está acima de 80%, quase metade das internações se deve à Covid-19. 

Frente à escalada dos indicadores, o governo do estado anunciou 190 novos leitos no SUS, o que representa cerca de 7% dos 2,5 mil já existentes hoje.