RECEITA ATRELADA

Senior enfrenta mercado cabreiro

08/03/2013 14:49

Empresa tem recepção morna na Bovespa. Receita presa a poucos grandes clientes pode ser causa.

Mercado inseguro sobre Senior Solution no curto prazo. Foto: Flickr.com/leocaobelli

Tamanho da fonte: -A+A

A recepção fraca dos investidores à Senior Solution na bolsa, com começo da vendas das ações 15% abaixo do preço mínimo estimado na oferta inicial (IPO) – saíram a R$ 11,50, quando a empresa projetava de R$ 13,50 a R$ 15,50 – se deve à insegurança gerada pelo fato de a receita da empresa se basear em poucos contratos de grande porte.

Especialistas de mercado ouvidos pelo Valor Econômico avaliam que existe um certo desconforto junto aos investidores pelo fato de que, por exemplo, nos nove primeiros meses de 2012, mais da metade da receita operacional líquida (53,4%) da companhia veio de três clientes.

Tal dependência é vista pelos analistas como “potencialmente perigosa diante de um cenário de consolidação e de mudanças no setor financeiro”, que é o setor-foco da Senior Solution.

A análise é que com a queda nas taxas de juros e seus impactos no resultado dos bancos, cortes de gastos possam atingir os orçamentos de TI das instituições, afetando seus fornecedores.

Isso no curto prazo. Pensando a médio e longo período, a expectativa sobre as ações da empresa melhoram.

Conforme os especialistas ouvidos pelo Valor, novas oportunidades poderão surgir para a companhia à medida em que os investimentos se estabilizem e os orçamentos de TI voltem a ter mais liberdade.

Atualmente, a Senior Solution tem 140 clientes, mas em uma projeção de mercado divulgada pela própria empresa há estimativa de que existam 1075 instituições financeiras no país, formando mercado potencial para seu crescimento.

A Senior Solution foi a segunda companhia de software brasileira a abrir capital em bolsa este ano.

A primeira foi a Linx, paulista focada em sistemas para varejo que fez IPO em fevereiro, tendo ações iniciais precificadas pela Bovespa na faixa máxima, de R$ 27.

Embalada pelo largada acelerada, a Linx não sofreu queda nas ações mesmo com a divulgação de um balanço com quedas em 2012, quando o lucro líquido caiu 17,7% sobre 2011, indo a R$ 17,3 milhões.

Apesar do recuo, as ações da companhia valorizaram 18% desde o IPO, com precificação a R$ 27 por papel, topo da faixa indicativa.

Um dos motivos para isso, segundo os analistas, é um passo contrário ao da Senior Solution na carteira de clientes, já que a Linx tem uma fonte de receita diversificada, com os dez maiores clientes da base tendo respondido por não mais que 13% da receita entre janeiro e setembro de 2012.

Veja também

EQUILÍBRIO
Linx cai no lucro, mas ações seguem em alta

Lucro da empresa de software para varejo caiu, mas ações, que foram abertas em IPO no começo de fevereiro, seguem valorizando.

BOVESPA MAIS
Ações da Senior abaixo do previsto

No IPO, empresa projetava precificação entre R$ 13,5 e R$ 15,5 por ação, prevendo movimentar até R$ 101 milhões.

Nova Pontocom quer IPO em 2012

A Nova Pontocom –  formada pela união de Extra.com, Ponto Frio.com, Casas Bahia.com e Ponto Frio Atacado – quer estar pronta para a IPO em 2012.

“A ideia é estarmos prontos a partir da metade do ano que vem, mas não temos data para isso. Eu particularmente não acho que acontece no ano que vem pela situação do mercado”, disse o presidente da Nova Pontocom, Gérman Quiroga, ao jornal Valor Econômico.

Dell chega à Bovespa na terça

Ações da Dell passarão a ser negociadas na Bovespa a partir da próxima terça-feira, 07.

Os papéis serão emitidos pelo Citibank, por meio dos chamadas BDRs - Nível I não patrocinadas, que são certificados representativos de valores mobiliários emitidos por companhias abertas do exterior.

O Citi é responsável pela emissão de outro lote de dez BDRs não patrocinadas, desde 2010.