Operação Game Over investiga empresas distribuidoras e varejistas do setor de videogames. Foto: Pexels.

A Secretaria da Fazenda deflagrou nesta quinta-feira, 8/6, a operação Game Over, que investiga empresas distribuidoras e varejistas do ramo de eletrônicos. 

Indícios apontam que um grupo de 40 empresas está envolvido num esquema fraudulento que teria movimentado, desde 2015, cerca de R$ 800 milhões em vendas de videogames. 

A investigação estima que o valor sonegado possa alcançar aproximadamente R$ 250 milhões.

O G1 afirma que uma das empresas que recebe a mercadoria é a B2W, responsável por Submarino, Americanas.com e Shoptime. Em nota, a B2W Digital limitou-se a dizer ao G1 que "está colaborando com as investigações, atendendo os pedidos das autoridades".

Iniciadas há um ano, as investigações indicam que o grupo abriu diversas empresas de fachada, utilizando-se de sócios laranjas para emitir Notas Fiscais, com o objetivo de “esquentar” as mercadorias e simular o recolhimento do ICMS devido em operações sujeitas ao regime de substituição tributária. 

Com aparência de legalidade, empresas distribuidoras, também pertencentes ao grupo, recebiam essas mercadorias e as revendiam a grandes redes varejistas. Estas comercializavam com os consumidores finais por meio de suas plataformas e-commerce e de suas lojas físicas.

A operação é realizada em conjunto com a Polícia Civil e conta com o apoio do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Para a Game Over, foram mobilizados cerca de 100 agentes fiscais de seis delegacias tributárias e 70 policiais civis. O trabalho conjunto soma 14 mandados de busca e apreensão em empresas, escritórios de contabilidade e residências, além de 12 ordens de fiscalização nas cidades de São Paulo, Osasco, Barueri, São Caetano e Guarulhos.

A operação busca apreender livros, documentos fiscais, controles paralelos e realizar cópia e autenticação de arquivos digitais.