Cleber Prodanov, pró-reitor de inovação da Feevale. Foto: Divulgação.

Dando continuidade a sua estratégia de expansão, o Parque Tecnológico da Feevale inaugurou na última semana o Condomínio Empresarial Feevale Techpark 3. O ambiente está sediado na unidade de Campo Bom do parque.

O Techpark 3, com área construída de 1.024 m², contou com investimento de R$ 2,1 milhões, dos quais R$ 1,2 milhão são recursos viabilizados por meio de convênio com a Secretaria Estadual do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDECT) e o restante foi investido pela Universidade Feevale. 

Já o terreno onde está construído o prédio, que tem área de 2500 m², foi doado pela Prefeitura de Campo Bom. 

A nova área do parque conta com 25 salas para novos empreendimentos de base tecnológica, além de uma sala de capacitação para realização de workshops e treinamentos para empresas residentes e incubadas.

“Diariamente, na Universidade, somos desafiados a criar soluções para o desenvolvimento de nossa região, por meio de oportunidades que resultem no fomento da economia. Esse novo espaço é mais um passo rumo à nossa expansão para Campo Bom, onde futuramente também instalaremos o Câmpus 3”, afirma a reitora da Universidade Feevale, Inajara Vargas Ramos.

O novo espaço receberá empresas residentes do Parque Tecnológico e também aquelas que tenham sido graduadas pela Incubadora Tecnológica da Universidade Feevale. Igualla, Neovech, Vib Master, Vib Term, Tekmarket, F3DB e Rankine são empresas residentes no Parque já estão em fase de instalação no prédio.

O Feevale Techpark gera mais de 4 mil empregos diretos e conta com 45 empresas instaladas. Até julho de 2016, as companhias somaram cerca de R$ 250 milhões em faturamento. 

O parque, antes conhecido como Valetec, passou por mudanças significativas em 2015. A primeira foi o retorno de Cleber Prodanov, ex-Secretário de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico durante o governo Tarso Genro, à Feevale.

No final do ano passado, a composição da gestão da Valetec mudou, com a Feevale se tornando a gestora principal do parque, após a saída das prefeituras de Campo Bom e Novo Hamburgo e da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Campo Bom, Novo Hamburgo e Estância Velha.