MÃO DE OBRA

IA: Brasil terá que requalificar 22% até 2030

08/12/2020 17:55

Adoção de inteligência artificial deve transformar mercado, aumentando as vagas que exigem alta qualificação.

Tânia Cosentino, presidente da Microsoft Brasil. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O mercado de trabalho brasileiro terá que requalificar cerca de 22% da mão de obra existente para suprir a demanda projetada para a adoção da inteligência artificial no país nos próximos 10 anos.

Este é um dos principais desafios apresentados no estudo “A Inteligência Artificial (IA) ​​na era da COVID-19: Otimizando o papel da IA ​​na geração de empregos e crescimento econômico na América Latina”, encomendado pela Microsoft à consultoria FrontierView.

De acordo com a pesquisa, mais da metade dos empregos em 2030 devem ser de alta qualificação, o que inclui profissionais como técnicos, gerentes e trabalhadores administrativos — enquanto a demanda por trabalhadores de qualificação média ou baixa deve diminuir significativamente.

Para suprir a nova demanda e aproveitar o potencial trazido pela automação, o Brasil não poderá contar apenas com a mão de obra já existente e com novos graduandos em cursos nessa área, sendo necessário requalificar outras parcelas da população.  

Será preciso reinventar trabalhadores para que eles possam desempenhar tarefas novas. Um operador de planta, por exemplo, que é considerado de média qualificação, pode se tornar um técnico para atuar com sensores de IoT.

Caso não haja a requalificação necessária, as projeções para 2030 apontam que apenas 30% dos trabalhadores brasileiros terão alta qualificação, enquanto a demanda será de 52%.

Além da questão da mão de obra, o estudo projetou que o uso da IA deve adicionar entre 1,8 e 4,2 pontos percentuais ao Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no período.

De acordo com a análise, a tecnologia pode ser uma ferramenta para auxiliar o país na recuperação econômica, reduzindo custos, melhorando a arrecadação de impostos e estimulando a liberação de crédito para movimentar a economia. 

“Nossa pesquisa aponta que inteligência artificial pode ser um impulsionador da retomada econômica do Brasil após a pandemia da Covid-19. Com as estratégias e investimentos certos, o país pode elevar seu crescimento econômico e aumentar a produtividade da população”, destaca Pablo Gonzalez Alonso, diretor de pesquisa na FrontierView para a América Latina. 

Para contextualizar a posição do Brasil em relação à América Latina, a pesquisa analisou Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Peru e Porto Rico. Destes, México, Brasil e Costa Rica devem ver os maiores saltos no crescimento econômico atribuídos pela adoção da IA e a Argentina, os mais baixos.

O Brasil ainda tem a segunda maior oportunidade de aumentar seu crescimento de produtividade e equipará-lo ao de países desenvolvidos, logo após o México, que ocupa a primeira posição.

“A inteligência artificial tem um imenso potencial de transformar os negócios e a nossa sociedade, mas para se beneficiar dessas oportunidades, precisamos garantir que ela seja conduzida de maneira ética, responsável e que seja acessível a todos”, afirma Tânia Cosentino, presidente da Microsoft Brasil. 

Fundada em 1975, a Microsoft tem negócios em 170 países e conta com cerca de 144 mil funcionários. A empresa está no Brasil há 31 anos, com sede em São Paulo.

Já a FrontierView, também americana, foi criada em 2007 e tem mais de 200 companhias como clientes. Entre elas, estão nomes como Adidas, Henkel, Kimberly-Clark, Bacardi, Herbalife, Bic, Nike, Lufthansa, Campari, Novartis, Cisco, Citrix e Motorola Solutions.

Veja também

AÇÕES
XP: inteligência artificial ajuda day traders

Funcionalidade de IA na Clear Corretora é uma mostra dos resultados da abordagem ágil na empresa.

IA
TIM investe em inteligência artificial com CyberLabs

Acordo terá duração de dois anos e prevê a implementação de projetos em conjunto.

FUTURO
Inteligência Artificial para impulsionar a manufatura sustentável

Novas tecnologias de IA tem implicações nas pessoas, no planeta e no lucro das companhias.

INDÚSTRIA
Beira Rio tem inteligência artificial com Paipe

Empresa calçadista está ajudando a validar algoritmos de plataforma recém criada.

FORMAÇÃO
Softbank tem curso de inteligência artificial

Treinamento tem 300 vagas para a América Latina, com base em São Paulo.

SAÚDE
Grupo Fleury tem inteligência artificial com Laura

Tecnologia deve agilizar a identificação de infecções generalizadas.

REFLEXÃO
Nem tudo é Inteligência Artificial

O hype em torno do tema IA é grande, mas muita coisa já está aí há tempo.

CHATBOTS
Banco RCI aposta em inteligência artificial com a Nama

Rita é a assistente virtual do Banco Renault e Nina atende na Credi Nissan.

INOVAÇÃO
ITS mostra inteligência artificial no SAP NOW

Protótipo explorou novas tecnologias voltadas à economia da experiência.

FUTURO
A Inteligência Artificial já chegou na indústria

As possibilidades com uso de IA na indústria são infinitas.