Clemilson Correia, fundador e CEO da Buysoft. Foto: divulgação.

A Buysoft, revenda de software sediada em Maringá, Paraná, fechou o ano passado com um faturamento de R$ 43,6 milhões, uma alta de 13,3% frente aos resultados de 2019.

Segundo a empresa, a rentabilidade do negócio aumentou 15,8%, mesmo com a variação cambial puxando o índice para baixo. Com a pandemia, no entanto, o ritmo foi bem mais lento que o do ano anterior, quando a companhia registrou uma alta de 1365%.

A maior parte do crescimento (36%) foi concentrada em soluções de transformação digital para a área de arquitetura, engenharia e construção civil — com destaque para a modernização de empresas varejistas, construtoras e prefeituras e órgãos governamentais com os processos BIM.

Em seguida, com 26%, vêm as soluções voltadas a áreas como fotografia, design, vídeo e web. Já o segmento de digital workplace representou 13% do crescimento.

Com a chegada da pandemia, a Buysoft optou pelo trabalho remoto e sua equipe atuou no modelo em mais de 80% dos dias trabalhados em 2020. Além disso, a empresa decidiu não protestar nenhum cliente inadimplente durante a crise.

“Fizemos dezenas de prorrogações de títulos e fomos parceiros no momento que eles mais precisavam. Além disso, distribuímos mais de 10 mil licenças de software gratuitamente em parceria com a Microsoft Corporation para permitir que as empresas trabalhassem remotamente utilizando tecnologias de ponta, sem qualquer custo adicional”, conta Clemilson Correia, fundador e CEO da Buysoft.

Para facilitar as vendas, a empresa também ofereceu aos clientes compras parceladas com prazos de até 36 vezes e carência de até 90 dias.

Com mais de 10 anos de atuação, a Buysoft já atendeu mais de 11 mil empresas em todo país. A companhia é o terceiro maior parceiro Adobe no Brasil, além de estar nos níveis máximos da Kaspersky e Microsoft e quase no topo do programa da Autodesk.